A mudança já tinha sido anunciada, mas agora é oficial: a partir desta terça-feira a Mytaxi troca o preto e o amarelo pelo vermelho e azul e passa a chamar-se Free Now, depois de um fase de rebranding. Mas, refere a empresa em comunicado, há ainda outra mudança: a introdução de uma modalidade que permite viagens de táxi mais baratas para competir com as plataformas de transporte de passageiros em veículos descaracterizados (TVDE) — como a Uber, Cabify, Bolt e Kapten.

A empresa líder europeia em serviços digitais de reserva de táxis anunciou também que nos próximos meses pretende integrar as trotinetes elétricas da Hive na sua aplicação, nos mercados em que estes veículos estão disponíveis, como é o caso de Portugal, Polónia e Áustria.

Em novembro do ano passado, recorde-se, o presidente da empresa na Europa esteve em Lisboa para lançar as Hive (que na altura era um projeto piloto da empresa) e já tinha referido que um dos objetivos seria incluir trotinetes e táxis na mesma aplicação. “O plano é incluir tudo isto na nossa app, quer seja sob a mesma marca, sob a marca da Hive, ou mantendo a Hive como uma marca individual, com uma app individual. Se queremos ser um promotor de mobilidade temos de trazer os táxis e as trotinetes para a mesma aplicação”, explicou na altura Eckart Diepenhorst em entrevista ao Observador.

Embora o táxi vá continuar a desempenhar um papel fundamental na nossa oferta, acreditamos que no futuro é importante termos mais opções de mobilidade. As exigências dos utilizadores, a regulamentação e as opções técnicas para a mobilidade estão em constante mudança, e por isso, para conseguirmos não só manter mas também aumentar a nossa base de clientes satisfeita é fundamental continuarmos a fazer evoluir a nossa proposta de valor, e assim cumprir a nossa missão de tornar a mobilidade disponível para todos”, referiu Eckart Diepenhorst, citado em comunicado.

Quanto ao novo serviço, o LITE, a Free Now indica que vai permitir que as viagens de táxi feitas através da sua aplicação sejam cerca de 30% mais baratas, podendo assim aumentar a competitividade entre táxis e plataformas TVDE. Este serviço vai funcionar exclusivamente com o taxímetro em Letra C, o que significa que o motorista em todos os serviços LITE deverá acionar esta tarifa presente na legislação dos táxis. O que significa isto em termos práticos? Que o preço da viagem não é contado pelo taxímetro, mas determinado pela Free Now. Além disso, há outra mudança: tanto o passageiro como o motorista vão poder saber antes o preço exato que será cobrado pela viagem, à semelhança do que acontece com as restantes plataformas.

O serviço LITE, acrescenta a empresa na nota enviada, vai funcionar apenas com recurso a pagamento via app e com obrigatoriedade de colocar o destino final antes de solicitar a viagem. “Desde o primeiro momento que assumimos o nosso compromisso em trazer inovação para o setor e promover uma maior competitividade. Este novo serviço é mais um exemplo disso”, afirma Pedro Pinto, diretor-geral da Free Now em Portugal.

Pedro Pinto é diretor-geral da Free Now em Portugal

O responsável pela empresa afirma ainda que a regulamentação, “há muito desatualizada”, em relação ao preço tem sido “mais difícil” de mudar e, por isso, a introdução deste novo serviço foi a forma encontrada “ao abrigo da atual legislação, que permite que o táxi volte a ser competitivo com um serviço a um preço mais acessível para todos, mas com a mesma qualidade”.

A Free Now integra a joint venture de mobilidade entre Daimler e BMW e agrupa serviços como a Free Now, a Beat, a Kapten, a Clever e a Hive. No total, os serviços deste grupo já contam com mais de 24 milhões de utilizadores em 18 mercados e 130 cidades.