O Banco de Portugal já disse à Caixa Geral de Depósitos que discorda da decisão do banco de deixar de pagar juros de depósitos quando estes são inferiores a um euro.

Oficialmente, o Banco de Portugal confirma que já deu conhecimento formal, à administração liderada por Paulo Macedo, da sua posição. Uma posição que é de discordância relativamente à medida, sabe o Observador.

Fonte oficial do banco confirma que “o Banco de Portugal já transmitiu à Caixa Geral de Depósitos a sua posição relativamente à política de pagamento de juros de depósitos a prazo recentemente anunciada por esta instituição de crédito”.

A Caixa Geral de Depósitos decidiu deixar de pagar juros nos depósitos a prazo e contas poupança quando o valor do juro for inferior a um euro. Esta é uma mudança que vai ocorrer a partir de agosto.

A DECO foi uma das entidades que vieram criticar a decisão do banco público. Ouvido pela TSF, António Ribeiro, economista da Deco, defendeu que a medida até pode ser legal, mas “moralmente, não é correto” nem incentiva à poupança. Por muito baixo que seja o juro, este “deve ser pago”, defendeu o economista.