Incêndio de Silves encontra-se em resolução depois de oito horas de combate. Representante dos Bombeiros disse à SIC que, no momento, o trabalho consiste em “garantir que não haja reativações” e que quase 90% de todo o perímetro está consolidado.

A A2 esteve cortada nos dois sentidos no quilómetro 222 devido a um incêndio em São Bartolomeu de Messines, em Silves. O fogo teve três frentes ativas, todas controladas por volta das 20h, confirmou Abel Gomes, 2.º Comandante Operacional Distrital de Socorro ao Observador.

Às 16h45 a situação foi reestabelecida e o trânsito aberto em ambos os sentidos na A2, disse fonte oficial da Brisa ao Observador.

O fogo ameaçou o parque de campismo do Paúl, mas não existiam pessoas no local. O incêndio, que deflagrou na zona de Vale Figueira, em Silves, causou ferimentos num bombeiro, que sofreu queimaduras de segundo grau nos membros superiores quando combatia as chamas. Foi transportado para o hospital de Portimão, acrescentou a fonte do CDOS.

O fogo obrigou ainda à retirada de uma idosa da sua habitação, na Foz do Ribeiro, mas apenas por precaução, frisou à Lusa o Comando Distrital de Operações de Socorro.

Enquanto as três frentes do incêndio estavam ativas, fonte do CDOS revelou que “a mais intensa das frentes está a desenvolver-se para sudeste, a segunda, localizada a oeste, está mais fraca pois fica contra o sentido do vento”.

“O vento está a originar um alcance de longas distâncias e os meios de combates estão a ter muita dificuldade em combatê-las devido à intensidade dos fogos”, contudo a situação está “favorável para o combate” segundo o 2.º Comandante Abel Gomes, depois de duas frentes terem sido controladas.

De acordo com a Proteção Civil, o incêndio que cortou o troço Norte/Sul iniciou-se às 12h09 e está a ser combatido por seis meios aéreos e 285 operacionais.

(Em atualização)