Rádio Observador

Índia

Pelo menos seis paquistaneses mortos em menos de 24 horas em Caxemira

Só na quinta-feira, dois civis e três soldados foram mortos na parte paquistanesa da Caxemira. Conselho de Segurança da ONU vai discutir conflito esta sexta-feira numa reunião à porta fechada.

FAROOQ KHAN/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Pelo menos seis paquistaneses foram mortos em menos de 24 horas por disparos de tropas indianas feitos a partir da Linha de Controlo na região da Caxemira, afirmaram esta sexta-feira as autoridades paquistanesas.

“Outro bravo filho da terra perdeu a vida no cumprimento do dever” na cidade de Buttal, escreveu no Twitter o porta-voz do Exército, Asif Ghafoor.

Esta foi a sexta pessoa a morrer depois de na quinta-feira, segundo as autoridades do Paquistão, dois civis e três soldados terem morrido na parte paquistanesa da Caxemira

As tensões entre os dois vizinhos aumentaram depois de a Índia ter decretado, há 12 dias, a revogação da autonomia constitucional do estado de Jammu-Caxemira, medida explosiva que visa colocar a região sob uma tutela mais direta de Nova Deli e que o Paquistão considerou “ilegal”.

Desde 4 de agosto que a Caxemira indiana está isolada do mundo. O controlo sobre as comunicações e restrições pesadas de circulação foram impostos pelas autoridades indianas.

As duas potências nucleares do sul da Ásia já travaram duas guerras pelo controlo de Caxemira. Desde 1948, uma resolução da ONU prevê a organização de um referendo de autodeterminação em Caxemira, que se mantêm letra morta face à oposição de Nova Deli.

Diferentes grupos separatistas combatem, há décadas, a presença de cerca de 500 mil soldados indianos na região de Jammu-Caxemira, para exigir a independência do território ou a integração no Paquistão. Dezenas de milhares de pessoas, na grande maioria civis, já morreram no conflito.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas tem agendada para esta sexta-feira uma reunião à porta fechada para discutir a situação de Caxemira, a pedido do governo do Paquistão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)