O ex-selecionador espanhol Luis Enrique anunciou esta quinta-feira a morte da filha. Xana, de apenas 9 anos, tinha osteorsarcoma, um tipo de cancro nos ossos que lhe tinha sido diagnosticado há cinco meses.

Num comunicado divulgado no Twitter em nome de toda a família, Enrique agradeceu todo o carinho recebido nos últimos meses e a “descrição e compreensão” de todos. O treinador deixou também uma palavra à equipa dos hospitais San Joan de Deus e Santa Pau, aos “médicos, enfermeiras e a todos os voluntários”, e uma “menção especial” à equipa dos cuidados paliativos de San Joan de Deus.

“Vamos sentir muito a tua falta, mas iremos lembrar-nos de ti todos os dias da nossa vida, com esperança de que, no futuro, nos voltaremos a encontrar. Serás a estrela que guia a nossa família”, disse, numa última mensagem para a filha.

Luis Enrique assumiu a seleção espanhola em julho de 2018, após o Mundial, mas afastou-se em junho deste ano alegado motivos pessoais. A sua saída inesperada foi motivo de especulação  em Espanha durante os últimos meses, uma vez que, aparentemente, não existiam razões para  Enrique abandonar a equipa menos de um ano depois.

Tentou, funcionou mas não dá mais: Luis Enrique deixa seleção espanhola por razões pessoais