As empresas são as principais interessadas nos apoios públicos à compra de carros elétricos, revela o jornal Público com base em informações do Ministério do Ambiente e da Transição Energética
(MATE). Mais de dois terços das quase mil candidaturas já aprovadas 69% são relativas a pessoas coletivas — as restantes são de particulares, que recebem um apoio maior. O jornal acrescenta que a norte-americana Tesla saltou para a liderança na primeira metade deste ano, neste segmento, ultrapassando a Nissan e Renault.

O Estado está a subsidiar com 3.000 euros os particulares e com um máximo de 2.250 euros as empresas (até quatro apoios por empresa). Os apoios só valem para a compra de carros que custam um máximo de 62.500 euros, o que já leva à exclusão de vários modelos da marca norte-americana, cujo rosto é Elon Musk, entre os quais o Model S. Mas o Model 3 já fica, em algumas tipologias, dentro deste limite.

Esse facto terá ajudado a que a Tesla tenha conquistado a liderança dos carros elétricos em Portugal. Nos primeiros sete meses deste ano, de acordo com os dados da associação do setor automóvel, a ACAP, a empresa norte-americana vendeu 1.255 veículos (o que corresponde a 29% do total), contra os 1.127 da Nissan e os 627 da Renault.

Na Tesla, segundo o Público, entre janeiro e julho foram vendidos 941 Model 3, 182 do Model S e 132 do Model X.