Dos 5.095 exames de 12.º ano que foram reavaliados este ano a pedido dos alunos, 3.803 (74,6%) tiveram uma melhor classificação, noticiou o Jornal de Notícias. A maior parte dos pedidos de reapreciação são para os exames de Português (1.555) e Matemática A (863).

No caso do Português, 75,2% dos alunos viram a nota aumentada e, no caso da Matemática A, 80% dos exames tiveram melhor nota. Entre os exames com mais pedidos, Biologia e Geologia (661) teve um aumento de 72,2% e Física e Química A (628) teve um aumento mais modesto de 61,8%. De destacar que entre os 22 exames de Matemática B reapreciados, todos tiveram a nota aumentada.

Para justificar as discrepâncias na disciplina de Português, Filomena Viegas, presidente da Associação de Professores de Português, fala na subjetividade na análise da composição, mas também diz que os professores que corrigem os exames estão sujeitos a muita pressão, incluindo de tempo.

Dos pedidos de reapreciação, 489 tiveram pior nota. No entanto, se os alunos já tiverem sido aprovados com base na classificação inicial, não podem ser reprovados com base na nota da reavaliação.

Para pedirem a reapreciação das provas, os alunos têm de pagar 25 euros, que são devolvidos caso a nota do exame suba. Assim, dos mais de 127 mil euros que foram pagos inicialmente, só 32.300 euros vão ficar para os estabelecimentos de ensino, o que não chega sequer para pagar aos professores que fizeram a reapreciação. Cada professor recebe 7,48 euros por prova — um total que chegou, este ano, aos 38.110 euros.