Rádio Observador

Canadá

Trudeau anuncia dissolução do parlamento e início da campanha eleitoral no Canadá

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, anunciou a dissolução da Câmara dos Comuns, dando início à campanha para as eleições legislativas no país a 21 de outubro, e tenta a reeleição.

Justin Trudeau candidata-se a um segundo mandato

LUKAS COCH/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, anunciou esta quarta-feira a dissolução da Câmara dos Comuns, dando início à campanha para as eleições legislativas no país em 21 de outubro.

Justin Trudeau, que se candidata a um segundo mandato, reuniu-se com a governadora geral, Julie Payette, para pedir que dissolvesse a câmara baixa do Parlamento, em conformidade com o seu papel de representante da Rainha Isabel II, chefe de Estado. “Reuni com a governadora geral, que acedeu ao meu pedido de dissolução do Parlamento”, indicou Trudeau à imprensa.

Segundo as sondagens, o primeiro-ministro cessante inicia a campanha com uma ligeira vantagem sobre o candidato dos conservadores, Andrew Scheer. O liberal Justin Trudeau, eleito em 2015, o conservador Andrew Scheer, o social-democrata Jagmeet Singh e a ecologista Elizabeth May são os quatro principais candidatos que disputam o cargo de primeiro-ministro do Canadá.

Eleito em 2015 com a promessa de melhorar a classe média, Trudeau de 47 anos é filho do ex-primeiro-ministro Pierre Elliott Trudeau. Líder do seu partido desde 2013, Trudeau tem deixado clara a sua preocupação com o aquecimento global, estabeleceu um imposto nacional sobre o carbono e nacionalizou um oleoduto controverso.

Justin Trudeau tem como principal adversário Andrew Scheer, líder do Partido Conservador (direita) desde 2017 e que dirige a sua primeira campanha eleitoral. Andrew Scheer, de 40 anos, deputado do círculo eleitoral de Saskatchewan (oeste) desde há 15 anos, tornou-se em 2011 o presidente mais jovem da Câmara dos Comuns.

Conservador em questões fiscais e sociais, Andrew Scheer considera-se “realista” e compromete-se a reequilibrar o orçamento do Estado em cinco anos e a não reabrir o debate sobre o aborto ou o casamento entre pessoas do mesmo sexo, ao contrário das suas declarações anteriores.

O principal opositor de Trudeau promete abolir o imposto federal sobre o carbono, a principal medida adotada pelos liberais para combater o aquecimento global e substituí-lo por diferentes iniciativas. Andrew Scheer pretende criar um “corredor de energia” que se estende por todo o Canadá, reservado para o transporte de petróleo, gás ou eletricidade.

Na corrida para as legislativas está também Jagmeet Singh, o advogado de 40 anos e líder desde 2017 do Novo Partido Democrático (NDP). Sempre usando um turbante, Jagmeet Singh foi eleito deputado de um subúrbio de Vancouver no início de 2019 e quer ser o defensor de um país tolerante, aberto, igualitário e ecológico.

Elizabeth May, figura histórica do movimento ambientalista, tornou-se em 2011 na primeira deputada dos Verdes na história do Canadá. Nasceu nos Estados Unidos, mas cresceu em Nova Escócia (leste). Elizabeth May liderou durante 17 anos uma organização ambiental, a Sierra Club do Canadá, antes de assumir a direção do Partido Verde em 2006. Aos 65 anos, Elizabeth May fez do seu partido a terceira formação com mais assentos no parlamento de Ottawa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)