Os dias avançam e, nas sondagens, o Partido Socialista continua a ver a distância para o Partido Social Democrata diminuir à medida que o tempo passa. A nova sondagem da Pitagórica para a TVI, JN e TSF traz notícias agridoces para o PS: por um lado, o caso Tancos não parece ter chamuscado especialmente o partido, que até sobe seis décimas, de 37,1% para 37,7%, face ao dia anterior. Por outro, os socialistas veem o PSD subir ainda mais (1,3 pontos percentuais, o dobro do crescimento do PS) e continuar a aproximar-se: subindo de 26,4% para 27,7%, os “laranjas” ficam a dez pontos percentuais dos “rosinhas”, à beira de reduzir a diferença para apenas um dígito.

A vitória socialista continua encaminhada, de acordo com as sondagens, mas a possibilidade de maioria absoluta parece mais distante, já que o PS precisaria de pelo menos 39% a 40% para sonhar com esse resultado. A 21 de setembro, na primeira sondagem de uma série de projeções diárias da Pitagórica, o partido de António Costa surgia com 40,6% e com uma distância de 14 pontos percentuais para o PSD. Em agosto, chegou a ter projeções de cerca de 43%.

A subida recente ao centro, porventura motivada pelo apelo ao voto útil, teve efeitos nos partidos à esquerda do PS. O Bloco de Esquerda continua como a terceira força política com maior projeção de votos, mas com 10%, descendo quatro décimas face aos 10,4% do dia anterior. Segue-se a CDU — coligação do PCP com o Partido Ecologista Os Verdes —, que se mantém como quarta força política, mas recua uma décima, dos 6,4% estimados este sábado para 6,3% estimados este domingo.

A CDU vê ainda aproximar-se o CDS: a força política de direita liderada por Assunção Cristas sobe de 3,6% para 4,4% num dia, diminuindo a distância para os comunistas de quase três pontos percentuais para dois pontos percentuais. No entanto, os democratas-cristãos continuam com projeções baixas para as aspirações do partido: estão a 23 pontos percentuais de distância do PSD (23,3 pp, mais especificamente) e com menos de metade da estimativa de votos do BE nesta sondagem da Pitagórica.

Se o PSD tem razões para acreditar que os maus resultados que se anteviam poderão não ser tão maus quanto se previa no início da campanha, nos pequenos partidos sem representação eleitoral o Iniciativa Liberal (IL) surge em sentido contrário ao CDS e sobretudo PSD, caindo dos 2% para os 1,1% em apenas um dia, nas sondagens da Pitagórica. O IL vê-se assim ultrapassado pelo Livre, que mantém projeções de voto de 1,3% — mais duas décimas do que o partido liberal de direita, mas distante dos 3,1% que o PAN mantém —, igualado pelo Chega, de André Ventura (que se mantém com 1,1%), e mais próximo do Aliança, de Pedro Santana Lopes, que continua com projeções de 0,7%. Pode consultar toda a evolução das projeções aqui.

Nota – Correção das projeções atribuídas aos resultados dos partidos Aliança, Chega e Bloco de Esquerda na sondagem, às 23h50