O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu esta segunda-feira que o congressista que supervisiona o processo para a sua destituição, Adam Schiff, devia ser “preso por traição”.

A maioria Democrata na Câmara dos Representantes iniciou na passada semana um processo de destituição do Presidente, acusando Donald Trump de ter pressionado o Presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, para investigar as atividades da família de Joe Biden — ex-vice-presidente no mandato de Barack Obama e atual candidato Democrata às eleições de 2020 — na Ucrânia.

Donald Trump repetiu esta segunda-feira, na sua conta pessoal da rede social Twitter, que nunca pressionou Zelensky e que tudo não passa de uma “caça às bruxas” do Partido Democrata, e defendeu que o congressista responsável pelo inquérito mentiu e deve ser “preso por traição”.

“Adam Schiff fez, ilegalmente, uma declaração falsa e terrível”, escreveu Trump, dizendo que o parlamentar Democrata, no seu depoimento no Congresso, distorceu as suas palavras no telefonema para o Presidente ucraniano.

“Não tinha nenhuma relação com o que eu disse no telefonema. Preso por traição?”, questiona Trump, ao mesmo tempo que se queixa do tratamento que os média estão a fazer deste caso, atribuindo-lhe responsabilidades que ele diz não assumir.

Nesse depoimento, Adam Schiff comparou Trump a um “chefe da máfia”, depois de a Casa Branca ter divulgado a transcrição de um telefonema para o Presidente da Ucrânia, Vladimir Zelenski, em julho passado, pressionando-o a investigar Hunter Biden, filho de Joe Biden, vice-presidente no mandato de Barack Obama e atual candidato à Casa Branca pelo Partido Democrata, por suspeita de irregularidades na sua ligação com uma empresa ucraniana.

A transcrição da conversa telefónica, divulgada na passada quarta-feira, mostra Donald Trump a levantar alegações infundadas de que Joe Biden teria tentado interferir na investigação de um procurador da Ucrânia sobre a atuação de Hunter Biden enquanto administrador de uma empresa ucraniana.

“Há muita conversa sobre o filho de Biden, dizendo que Biden (pai) suspendeu a acusação e muitas pessoas gostariam de saber mais sobre isso”, disse Trump a Zelensky, de acordo com a transcrição do telefonema, onde de seguida lhe pede “um favor”, referindo-se à investigação das atividades da família Biden, recordando-o das ajudas dos Estados Unidos a nível militar.

“É assim que um chefe da máfia fala: o que é que você fez por nós? Nós fizemos muito por si”, comentou Adam Schiff perante o Congresso, para justificar o processo de destituição.

A Câmara dos Representantes já está a trabalhar na elaboração dos artigos para o ‘impeachment’, que precisam de uma maioria simples para serem encaminhados para o Senado (dominado pelo Partido Republicano, de Donald Trump), onde terão de ser aprovados por uma maioria de 2/3, para permitir a remoção do Presidente.

Donald Trump recorda que o Presidente da Ucrânia já reconheceu que não foi pressionado e acusa Schiff e os Democratas de querem prejudicar a campanha para a sua reeleição nas presidenciais de 2020, pedindo ao Congresso e aos média para investigarem as atividades da família Biden na Ucrânia.