O Ministério Público acusou de 27 crimes de furto quatro pessoas que, entre janeiro e maio, terão assaltado estabelecimentos comerciais de restauração e bebidas em Braga, Guimarães, Lousada, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel, Famalicão e Vizela.

Em nota esta terça-feira publicada na sua página, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto refere que os alvos dos suspeitos eram as máquinas de venda automática de tabaco.

Os suspeitos entravam nos estabelecimentos através de arrombamento de portas e levavam os maços de tabaco e o dinheiro existentes nas máquinas.

“Para dificultar a sua identificação, os arguidos utilizavam nas deslocações veículos subtraídos na via pública, que abandonavam depois de consumados os furtos, assim como cobriam os rostos e utilizavam luvas”, acrescenta a nota.

Os furtos ocorreram entre 14 de janeiro e 22 de maio, sempre durante a noite.

Os quatro arguidos, que têm relações familiares entre si, estão acusados de 21 crimes de furto qualificado, dois dos quais na forma tentada, e de seis crimes de furto simples.