Jair Bolsonaro acusou o ator e ativista Leonardo DiCaprio de “dar dinheiro” a organizações não-governamentais que, segundo acredita o presidente, são responsáveis pelos incêndios na Amazónia. Em resposta às questões de uma mulher sobre os fogos “criminosos” durante uma conversa com eleitores, à saída do Palácio do Alvorada, em Brasília, Bolsonaro disse: “O Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazónia”, cita o Globo.

As declarações do presidente brasileiro surge na sequência da detenção de quatro bombeiros voluntários em Alter do Chão, no estado do Pará, suspeitos de atearem fogos. Os bombeiros estão ligados a uma organização não-governamental, a Projeto Saúde e Alegria, uma das mais conhecidas na região. Os quatro homens acabaram por ser libertados esta quinta-feira.

Em agosto, na sequência dos incêndios que devastaram a Amazónia, DiCaprio anunciou que iria doar 5 milhões de dólares (cerca de 4,50 milhões de euros) para organizações ambientais e indígenas brasileiras através da fundação Earth Alliance, criada por si e pelos filantropos Laurene Powell Jobs e Brian Seth. A fundação “compromete-se a ajudar a proteger o mundo natural. Estamos profundamente preocupados com a atual crise na Amazónia”, declarou o ator na altura.

Também Eduardo Bolsonaro, filho do presidente brasileiro e deputado federal pelo estado de São Paulo, já tinha dito esta quinta-feira que Leonardo DiCaprio tinha financiado uma organização não-governamental que tinha posto fogo na floresta, refere a Folha de S. Paulo.