A petrolífera saudita Aramco conseguiu 25,6 mil milhões de dólares junto dos investidores no âmbito da sua entrada em bolsa, o que eleva o valor da empresa para 1,7 biliões de dólares, segundo fontes da AFP.

O valor alcançado (perto de 23 mil milhões de euros) ultrapassa os 25 mil milhões de dólares conseguidos pelo grupo chinês de vendas online Alibaba em 2014, aquando da sua introdução em Wall Street, o que faz com que esta seja a maior entrada em bolsa da história.

Estes fundos levam a que a empresa tenha um valor de 1,7 biliões de dólares, à frente da Apple (1,2 biliões), da Microsoft (1,14 biliões) e da Alibaba (1,05 biliões).

O grupo saudita vai dar os seus primeiros passos no mercado bolsita de Riade, no dia 12 de dezembro, ao preço de 32 riais sauditas (8,53 dólares) por ação, de acordo com as mesmas fontes.

Os subscritores desta operação são sobretudo sauditas, com os grandes investidores estrangeiros a questionarem-se sobre a gestão, a capacidade do grupo em proteger as instalações petrolíferas e a duração dos lucros da empresa numa altura de maior rigidez nas políticas ambientais em todo o mundo.

Os fundos conseguidos pela Aramco com esta entrada em bolsa devem servir para financiar a diversificação de uma economia que até agora tem estado dependente do petróleo.