Onze remates, quatro golos, mais dois remates a rasar os postes, 409 passes feitos, 65% de posse, apenas uma falta sofrida. O Manchester City de Pep Guardiola voltou a ser o Manchester City de Pep Guardiola e conseguiu um verdadeiro “atropelo” frente ao Aston Villa numa primeira parte de sonho onde saiu a golear por 4-0 e já com a certeza de ter na mão a subida ao segundo lugar da Premier League (que pela campanha do Liverpool na presente temporada é mais o primeiro lugar extra reds…). No entanto, a história à volta do jogo no Villa Park era outra.

Numa fase onde o técnico espanhol considera o argentino indiscutível e Gabriel Jesus marca sempre que é titular, os citizens surpreenderam na equipa inicial apresentada e, perante a provável utilização de três centrais por parte do adversário, Guardiola arriscou os dois avançados de início. A opção demorou a carburar mas, quando arrancou, não mais parou: Riyad Mahrez inaugurou o marcador aos 18′ na sequência de uma jogada individual onde foi contornando adversários na área até ao remate final e bisou apenas seis minutos depois, aproveitando a total desorganização coletivo dos villans que acusaram em demasia o 1-0 na fase inicial da partida.

O momento da partida, esse, surgiria ainda antes da meia hora: recebendo um passe lateral do inevitável Kevin De Bruyne, que confirmaria o “título” de jogador com mais assistências da prova, Kun Agüero arriscou o remate de fora da área e marcou um grande golo sem hipóteses para Nyland (28′). E não foi um golo qualquer – ao chegar aos 175 golos, o argentino igualou nesse momento o mítico registo do francês Thierry Henry como melhor marcador estrangeiro da Premier League… com menos três jogos do que o agora treinador. Em paralelo, o quarto melhor marcador de sempre da competição que igualou Frank Lampard após ultrapassar Henry. Alan Shearer (260), Wayne Rooney (206) e Andy Cole (187) ocupam as três primeiras posições neste capítulo.

No Manchester City desde 2011, ano em que se tornou uma das primeiras estrelas numa constelação que estava ainda a ser construída, o antigo avançado somou sempre nas últimas cinco temporadas 20 ou mais golos, tendo na presente temporada 12 golos em 15 partidas realizadas na liga inglesa. Além das quatro Premier League ganhas, a primeira das quais em 2012 com um golo do argentino nos descontos do último encontro com o QPR, Agüero ganhou ainda uma Taça de Inglaterra, quatro Taças da Liga e três Supertaças.

Ainda antes do intervalo, Gabriel Jesus, após cruzamento ao segundo poste de Kevin De Bruyne, encostou para o 4-0 mas os números da goleada do City ainda não tinham chegado ao fim, com Agüero a bisar e a passar de vez Thierry Henry com o quinto golo da partida após um trabalho individual na área (57′) que lhe valeu o recorde isolado de golos de um estrangeiro na Premier League. E a conta não ficou por aí, com o hat-trick do jogador de 31 anos a nove minutos do final depois de um encontro sem história que acabou em 6-1 e que recolocou o Manchester City no segundo lugar da Premier League a 14 pontos do Liverpool – e com isso o argentino ainda conseguiu tornar-se o jogador de sempre com mais hat-tricks na competição, superando Alan Shearer.