O futebolista português Fábio Paim, “eterna promessa” da formação do Sporting que está detido desde agosto do ano passado por suspeitas de tráfico de droga, foi recentemente acusado pelo Ministério Público (MP), noticia esta terça-feira o Correio da Manhã.

O jogador foi detido em agosto de 2019 pela PSP de Cascais, que apreendeu doses de cocaína e dinheiro na casa (num roupeiro, em gavetas e numa cómoda), no carro e também na roupa interior de Fábio Paim.

Está desde essa altura em prisão preventiva na cadeia de Caxias, depois de o MP considerar que existia perigo de continuação da atividade criminosa, de perturbação da ordem pública e de fuga.

Na acusação agora deduzida pelo MP, citada pelo Correio da Manhã nesta terça-feira, lê-se que a 1 de agosto de 2019 — dia em que foi detido pela PSP — Fábio Paim “tinha na sua posse, escondida e acondicionada junto à zona genital, a quantia de 120 euros divididos em quatro notas de 20 e quatro notas de dez euros”.

O MP concluiu ainda que Fábio Paim se dedicava à venda de cocaína a clientes fixos e que todo o seu rendimento provinha do tráfico.

Além disso, Paim usava vários telemóveis para combinar as entregas das doses de cocaína, que preparava em casa, “usando faca, tesoura e balança de precisão“, segundo concluiu a investigação.

Cada dose era vendida, pelo menos, a 35 euros, acrescenta o Correio da Manhã, detalhando que a venda ocorria nas ruas de Cascais “pelo menos desde o início de 2019”.

Vários clientes de Paim foram arrolados pelo MP como testemunhas para o julgamento.

O jogador já havia sido suspeito de outro crime relacionado com tráfico de droga, com o MP a suspeitar de que Fábio Paim havia feito viagens para os Açores para vender droga junto a escolas. Porém, a investigação da PSP de Setúbal não conseguiu provar que Paim foi “correio de droga” e o jogador acabou por ser absolvido.

O jogador, que depois de um início de carreira considerado brilhante na formação do Sporting acabaria por passar por 20 clubes em doze anos e por acabar no desemprego, já tinha sido em 2015 acusado de ter violado uma mulher na Lituânia, país onde jogou no FK Nevezis.