Um homem foi abatido pela polícia no subúrbio de Streatham, no sul de Londres, durante um “incidente que foi declarado relacionado com terrorismo” e que teve motivações islamitas, revelou a Polícia Metropolitana. Duas pessoas, um homem e uma mulher, foram esfaqueadas, enquanto uma terceira sofreu ferimentos ligeiros, provavelmente causados por vidros partidos. O homem está em estado grave e corre risco de vida.

“Sabe-se que três pessoas ficaram feridas no ataque em Streatham ao início da tarde. Uma pessoa está no hospital em estado muito grave. Estamos a informar a família”, anunciaram num primeiro momento as autoridades.

Além do homem que corre risco de vida, uma mulher encontra-se internada num estabelecimento de saúde, no sul de Londres, por ter sido esfaqueada. Uma outra mulher teve apenas alguns ferimentos ligeiros, provavelmente causados por vidros partidos na sequência dos disparos da polícia, que foram tratados no local, informou a Polícia Metropolitana em comunicado.

Ataque teve motivações religiosas, confirmou a polícia

A polícia confirmou que existem suspeitas de que o ataque deste domingo teve motivações religiosas. Em comunicado, a Polícia Metropolitana disse que o “incidente foi imediatamente declarado como terrorista” e que existem razões para crer que o homem era islamita.

O ataque aconteceu pelas 14h. À Sky News, o dono de um estabelecimento comercial disse que o atacante roubou uma faca de uma loja, que terá usado para esfaquear o homem e a mulher. Terá sido apanhado pela polícia pouco tempo depois. O homem levava “um aparelho amarrado ao corpo”, segundo a polícia. Várias testemunhas declararam que o terrorista levava uma bomba.

David Videcette, especialista em contraterrorismo que investigou os atentados londrinos de 2005, escreveu na sua conta no Twitter que as imagens divulgadas parecem indicar que o homem terá sido abatido por uma equipa de vigilância não caracterizada, que se encontrava no local durante uma “operação pré-planeada”.

A Sky News avançou com informações que parecem indicar isso mesmo  — de acordo com a estação televisiva, o atacante estava sob apertada vigilância policial na altura do ataque. O canal avançou ainda, citando fontes ligadas à segurança, que o incidente deste domingo terá tido motivações islamitas.

A zona encontra-se isolada pela polícia, que apelou ao “senso comum” na circulação de fotografias e vídeos do local, nomeadamente “imagens dos agentes envolvidos”. O caso passou para a devisão de contraterrorismo da Polícia Metropolitana.

“Os terroristas querem dividir-nos e destruir o nosso modo de vida”, disse mayor de Londres

Sadiq Khan emitiu um comunicado, confirmando o incidente deste domingo em Streatham, em que “várias pessoas terão sido esfaqueadas”. O mayor de Londres disse estar em contacto com o comissário da Polícia Metropolitana e os representantes locais e agradeceu às autoridades a sua resposta rápida.

“Os terroristas querem dividir-nos e destruir o nosso modo de vida — aqui em Londres nunca iremos deixar que isso aconteça”, declarou o autarca.

Priti Patel, secretária de Estado para os Assuntos Internos, disse estar a acompanhar os acontecimentos em Streatham e enviou condolências às vítimas. O primeiro-ministro britânico Boris Johnson também reagiu ao ataque, agradecendo aos serviços de emergência. “Os meus pensamentos estão com os que ficaram feridos e com todos os afetados”, afirmou. Jeremy Corbyn deixou igualmente uma mensagem no Twitter.