Dark Mode 49,1 kWh poupados com o MEO
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

Sabe qual o melhor tipo de carro para a cidade?

Menos poluentes e mais económicos, mais fun e flexíveis. Mas as vantagens não se ficam por aqui. Veja qual a melhor escolha se vive numa cidade.

i

Ilustração: Teresa Dias Costa

Ilustração: Teresa Dias Costa

Cada vez nos surpreendemos menos por ver um carro elétrico a passar por nós na estrada. Isto porque o número de condutores que se rendem a este tipo de automóvel não para de aumentar. E não é por acaso: além de haver uma maior consciência ambiental, é uma opção mais económica comparativamente aos carros a gasóleo ou a gasolina. Ainda assim, muitas pessoas ficam de pé atrás na hora de escolher. Um dos problemas que é frequentemente colocado no que toca à compra de um carro elétrico prende-se com a sua autonomia. É verdade que esta ainda é inferior à dos carros de motor a combustão, mas os novos modelos vão conseguindo percorrer cada vez mais quilómetros entre carregamentos. E será que precisamos mesmo de carros com uma autonomia de 800 quilómetros quando conduzimos em média menos de 50 quilómetros por dia? Tome como exemplo o smart EQ fortwo, que tem uma autonomia de até 135 quilómetros, feito a pensar em quem vive na cidade. Mas se ainda não está completamente convencido, tome nota de seis (das muitas) vantagens que a compra de um elétrico pode trazer para a sua vida.

1. Zero emissões

Ilustração: Teresa Dias Costa

A sustentabilidade é um dos temas que mais tem estado na ordem do dia, e não é por acaso. Com as inúmeras alterações climáticas que têm vindo a ocorrer, fazer escolhas amigas do ambiente tem sido uma decisão feita por cada vez mais pessoas. Assim, optar por um carro elétrico faz todo o sentido: com um motor elétrico, este tipo de carro não emite qualquer tipo de gases, ao contrário do que acontece com os que são movidos a combustíveis fósseis. “Então, mas a eletricidade que alimenta os carros elétricos não é produzida a partir de fontes fósseis?”, muitos poderão questionar-se. A resposta é cada vez menos “sim”. Isto porque a eletricidade em Portugal que é obtida através de fontes renováveis, que em 2019 abasteceram metade do consumo nacional, tem vindo a crescer, fazendo dos carros elétricos uma opção mais sustentável face aos carros tradicionais. Esclarecida a questão ambiental, ter um carro elétrico é também uma decisão bastante conveniente. Isto porque há cada vez mais restrições à mobilidade de veículos a combustíveis fósseis — especialmente os mais antigos — nos centros de várias cidades europeias. Lisboa não é exceção e prepara-se para restringir já a partir de agosto deste ano a circulação de viaturas a combustão no centro da cidade. Os carros elétricos, por terem emissões nulas de CO2, não enfrentam este problema.

2. Mais quilómetros por menos dinheiro

Ilustração: Teresa Dias Costa

Com os preços dos combustíveis a aumentar progressivamente, as deslocações representam um gasto cada vez maior para quem tem um carro com motor de combustão. Os carros elétricos são mais vantajosos por serem mais económicos, com uma eficiência à volta dos 90%, um valor que nos carros a combustão desce para os 40%. Falando em termos práticos: um carro elétrico apresenta um consumo inferior a 2€ por cada 100 quilómetros; já os carros a diesel e a gasolina gastam, no mínimo, 7€ e 10€, respetivamente.

3. Sem ruídos desagradáveis

Ilustração: Teresa Dias Costa

Os carros elétricos são mais silenciosos e não têm sistema de escape, o que torna a experiência de condução mais agradável e confortável comparativamente à de um carro de combustão. Contudo, por questões de segurança rodoviária, este tipo de veículo é obrigado a emitir ruído a velocidades inferiores a 30 quilómetros por hora. Acima dessa velocidade… silêncio total!

4. É uma escolha apoiada pelo Estado

Ilustração: Teresa Dias Costa

Quem opta por um carro 100% elétrico pode contar com um incentivo fiscal no valor de 3000€, assim como a isenção do pagamento de impostos, nomeadamente o Imposto Sobre Veículo (ISV) e o Imposto Único de Circulação (IUC). Além disso, recebe o dístico identificativo de carro elétrico, obrigatório para carros que estejam a ocupar um lugar de parqueamento para carregamento público. Para as empresas, a estas vantagens somam-se ainda a isenção da tributação autónoma e a dedução do IVA na compra (ou nas rendas financeiras) e na energia que é consumida para o carregamento do veículo.

5. Menos visitas à oficina

Ilustração: Teresa Dias Costa

Mudanças de óleo ou de travões representam visitas rotineiras à oficina para quem tem um carro dito “tradicional”. Embora os elétricos também requeiram idas ao mecânico, os seus travões, filtros, correias e outras peças não se desgastam tão rapidamente. Além disso, em comparação aos carros a gasóleo ou gasolina, os elétricos fazem mais quilómetros entre revisões periódicas. Dito isto, as vantagens são duas: menos perdas de tempo e menores custos de manutenção.

6. Sem trocos para o parquímetro? Não faz mal, não vai precisar

Ilustração: Teresa Dias Costa

Estaciona o carro, dirige-se ao parquímetro, remexe o bolso e… não tem moedas. Que chatice! É claro que ninguém quer arriscar a uma multa. Mas se conduzir um carro elétrico, este problema nem se coloca. Isto porque, nalguns casos, estes veículos usufruem de parquímetros gratuitos. É o caso da cidade de Lisboa, onde existem vários lugares regulados pela Empresa Municipal de Estacionamento de Lisboa (EMEL) para esse efeito. Basta aderir ao selo verde da EMEL, com um custo anual de 12€. Se se tratar de um smart EQ fortwo, estacionar é ainda mais fácil. Afinal, 2,69 metros de carro cabem em (quase) qualquer sítio da cidade.

Links promovidos

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.