Há 13 jogadores e ex-jogadores do FC Porto que estão a ser investigados por suspeitas de lavagem de dinheiro e fraude fiscal, avança esta quarta-feira o jornal Correio da Manhã. De acordo com o diário português, as suspeitas de irregularidades, que estão a ser investigadas no âmbito da Operação Fora de Jogo, “ascendem a, pelo menos, 20 milhões de euros”.

Entre os negócios investigados estão duas operações relativas ao jogador Galeno, noticia o CM: um empréstimo do jogador ao Rio Ave e a mudança posterior do atleta a título definitivo para o Sporting de Braga. Segundo o Correio da Manhã, as autoridades que conduzem o processo, Ministério Público e Autoridade Tributária e Aduaneira, acreditam que os direitos económicos do jogador “terão sido transacionados entre a SAD portista e a SAD do Braga” mas “não terão sido declarados em sede fiscal”.

As autoridades investigam ainda irregularidades em transferências e negócios relativos aos jogadores e antigos jogadores portistas Iker Casillas, James Rodríguez, Falcao e Danilo Pereira, “entre outros”, acrescenta o diário. A casa de Casillas foi inclusivamente alvo de buscas e a ligação dos futebolistas a sociedades offshore para contornar o fisco será o âmbito principal deste processo. Já foram feitas buscas aos estádios dos três grandes do futebol português, às residências dos respetivos presidentes e à morada do antigo líder do Conselho Diretivo do Sporting, Bruno de Carvalho.

Além do FC Porto, estão sob suspeita de irregularidades fiscais outros seis clubes — Benfica, Sporting, Sporting de Braga, Marítimo, Rio Ave e Estoril — e 34 jogadores e treinadores ao todo, dos quais fazem parte 13 atletas e antigos atletas do FCP. Foram já constituídos 47 arguidos entre empresários, agentes, jogadores e entidades coletivas. O semanário Expresso avançou que o agente de futebol Jorge Mendes, um dos maiores do ramo no futebol mundial, faz parte da lista de arguidos.