O antigo adjunto de Pedro Passos Coelho no PSD e no governo, João Montenegro, é um dos novos secretários-gerais adjuntos de Rui Rio. João Montenegro era o homem do terreno do PSD de Passos Coelho, foi depois diretor de campanha de Pedro Santana Lopes nas diretas de 2018, mas nas diretas de janeiro esteve ao lado de Rio e colaborou na equipa mais próxima de Salvador Malheiro. Além de João Montenegro, mantém-se como secretário-geral o “ministro das finanças” interno do PSD, Hugo Carneiro, e Francisco Figueira, vice-presidente da distrital do PSD de Évora. Já Bruno Coimbra deixa de ser secretário-geral adjunto.

Na reunião da última quarta-feira, o PSD fechou também os nomes da nova comissão autárquica que conta com vários autarcas ou ex-autarcas: o secretário-geral José Silvano (que já foi presidente da câmara de Mirandela), os vice-presidentes Salvador Malheiro (presidente da câmara de Ovar) e Isaura Morais (ex-autarca de Rio Maior), a vogal Fátima Ramos (antiga presidente da câmara de Miranda do Corvo) e o presidente dos Autarcas Sociais Democratas e atual presidente da câmara de Mafra, Hélder Silva (este por inerência). O PSD informou ainda que “numa primeira fase, esta comissão trabalhará com as comissões políticas distritais e concelhias para acompanhar quotidianamente as atividades das diversas autarquias”.

O PSD decidiu criar ainda uma “comissão de reestruturação do PSD + Grupo Parlamentar para otimizar os recursos humanos e financeiros disponíveis”. Desta comissão vão fazer parte o presidente Rui Rio, a vice-presidente Isaura Morais, o vice-presidente e candidato a presidente da bancada, Adão Silva, o vogal Carvalho Martins e o secretário-geral adjunto Hugo Carneiro.

A direção diz que tomou a medida de criar esta comissão para “relegar para o plano secundário a sua gestão administrativa e financeira por força da pressão pública e mediática a que estão sujeitos no seu quotidiano”.