(Em atualização)

Prestes a fazer 74 anos, António Vieira Monteiro, presidente do conselho de administração do Santander, morreu esta quarta-feira devido a uma infeção pelo novo coronavírus. A informação foi avançada pelo Expresso e confirmada pelo Observador. É a segunda vítima mortal do novo coronavírus em Portugal.

O presidente do conselho de administração (chairman) do banco terá contraído o coronavírus no decorrer de um período de férias recente, na semana do Carnaval, numa estância de esqui no norte de Itália, apurou o Observador. Ao regressar a Portugal foi logo posto em quarentena em casa — devido não a sintomas, mas ao local de onde tinha vindo – e não terá, por isso mesmo, passado pelo seu local de trabalho no Santander. Passados dias desenvolveu os vários sintomas associados à Covid-19 e foi internado no Hospital Curry Cabral, em Lisboa.

No entanto, segundo as fontes ouvidas pelo Observador, terá morrido no Hospital de São José, para onde foi transferido. De acordo com a TVI, dois dos seus filhos estão também infetados com Covid-19. O Observador também já soube que houve vários infetados que estiveram com Vieira Monteiro nesta viagem de família, mas que todos estão a recuperar bem. A SIC acrescenta que o banqueiro e alguns membros da família estiveram em Val Gardena, no norte de Itália.

As estâncias de esqui só começaram a ser encerradas em Itália a partir de 9 de março, quando o governo italiano tomou medidas mais apertadas para impedir a propagação do vírus. No caso de Val Gardena, onde terá estado Vieira Monteiro, a ordem de encerramento foi tomada pelas autoridades no dia seguinte, a 10 de março. Na semana do Carnaval, período em que o banqueiro esteve em Itália, foi quando a situação em Itália começou a piorar consideravelmente: o número de casos confirmados no país passou de 323 na segunda-feira, dia 25 de fevereiro, para 1.128 na sexta-feira, dia 29, segundo os dados sobre o novo coronavírus do site Worldometer.

Comissão Executiva lembra “rigor e determinação” de Vieira Monteiro

Numa nota interna de pesar enviada aos funcionários do Santander, a comissão executiva “manifesta o seu sentido pesar” pela morte de Vieira Monteiro.

António Vieira Monteiro dedicou toda a sua carreira à atividade bancária”, lê-se. O banqueiro foi administrador do Santander em Portugal desde 2000 e presidiu à comissão executiva entre 2012 e 2018. “Durante a sua liderança, o Banco consolidou e expandiu a sua atividade em Portugal, mantendo em permanência o rigor e a determinação que sempre o caraterizaram.”

O comunicado divulgado internamente aos funcionários do banco

“O Banco Santander, o seu Conselho de Administração e os seus colaboradores endereçam as mais sinceras condolências à sua família e amigos. O legado de António Vieira Monteiro permanecerá connosco.”

Já num comunicado enviado às redações, a instituição refere: “o legado de António Vieira Monteiro permanecerá sempre connosco“.

Pedro Castro e Almeida, presidente da comissão executiva do Santander Portugal, frisa a “perseverança” do banqueiro. “Vieira Monteiro era um profundo conhecedor do sector bancário, no qual trabalhou ao longo de várias décadas, tendo contribuído de forma muito relevante para aquilo que o Santander em Portugal é hoje: um banco líder, forte e com enorme capacidade para contribuir para o desenvolvimento do País”.