Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Se em Portugal estão a ser feitos diariamente 1.400 a 1.500 testes de diagnóstico ao novo coronavírus — o que significa que aproximadamente 0,014% da população está a ser testada diariamente —, em Espanha o número de testes diários tem rondado os 15 a 20 mil, ou seja, 0,038% dos habitantes do país do país têm sido testados diariamente, um número bastante superior ao português.

Ainda assim, com perto de 25 mil infeções confirmadas por SARS-CoV-2 — 0,054% da população espanhola, um valor percentualmente também significativamente superior ao atualmente registado em Portugal, que conta com 1280 casos, o equivalente a 0,012% dos habitantes — Espanha considera que o número de testes feitos não é suficiente e vai avançar para mais.

Este sábado, as autoridades de saúde espanholas revelaram que pretendem mesmo seguir o exemplo de países como a Alemanha e a Coreia do Sul, que adotaram a política “testar, testar, testar” recomendada pela Organização Mundial de Saúde para conter a propagação da pandemia. O Governo liderado por Pedro Sánchez anunciou assim que vai comprar “quatro robôs que permitirão fazer até 80.000 testes por dia”, um valor pelo menos quatro vezes superior ao número de testes diários que têm sido feitos em Espanha.

Em conferência de imprensa, a diretora do instituto público de investigação em saúdo Carlos III, Raquel Yotti, revelou também que uma das prioridades em Espanha passa por dispor de “técnicas eficazes de diagnóstico rápido contra o coronavírus e a Covid-19” e que por isso o país adquiriu “640.000 testes rápidos” que permitem detetar a infeção em apenas 15 minutos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em Portugal, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afirmou na passada quinta-feira em entrevista à TVI que estava a ser avaliada a eficácia de um novo tipo de teste ao novo coronavírus que “não demore estas horas a ser analisar. É preciso que seja confrontado com estes testes que já hoje existem. Se se confirmar, a partir da próxima semana teremos testes mais rápidos. Será sempre mais importante testar os grupos de riscos do que outras pessoas, mas poderíamos cobrir uma parte maior da população”.

EUA aprovam teste de diagnóstico em 45 minutos

Nos Estados Unidos da América, a Administração de Alimentos e Medicamentos, entidade que regula e aprova medicamentos e testes de diagnóstico no país, deu luz verde a um novo modelo de diagnóstico de SARS-CoV-2, o novo coronavírus, que pode provocar a doença Covid-19.

Trata-se de uma “autorização de uso em caso de emergência” de um novo teste de diagnóstico que poderá “detetar o vírus em aproximadamente 45 minutos”. A autorização foi dada esta sexta-feira, mas acabou de ser revelada pela CNN, que cita “um comunicado da empresa que produz os testes”.

Segundo o jornal The Washington Post, trata-se de um teste molecular chamado Cepheid. Este novo teste de diagnóstico começará por ser usado em hospitais e, segundo a empresa que o produz, poderá não apenas “ajudar a aliviar a pressão” em unidades de saúde hospitalares e laboratórios, mas também permitir “aos médicos decidir rapidamente qual é o tratamento apropriado para os pacientes”.

Em território norte-americano, o teste deverá começar a ser utilizado até ao final deste mês de março, indica a empresa.