Todos os dias, chegam-nos de vários países valores recorde no crescimento de novos casos e no número de mortos causados pela pandemia do coronavírus — umas vezes mais, outras vezes menos. De acordo com o agregador de dados oficiais World Meter, do total de mais de meio milhão de pessoas que já foram infetadas pela Covid-19, 23.028 já morreram.  Isto significa que taxa de mortalidade em todo o mundo é de 4,5%. Das mais de 23 mil mortes registadas em todo o mundo, mais de 60% foram registadas no continente europeu — onde o registo ultrapassou as 15 mil mortes esta quinta-feira.

A pandemia que surgiu na China está agora a fustigar a Europa — onde em alguns países os números de contaminados e de mortes já ultrapassaram ou superam em breve os do país asiático onde o surto começou. Mas a pandemia já chegou em força aos Estados Unidos — que se tornou esta quinta-feira o país do mundo com mais pessoas infetadas. A Organização Mundial de Saúde já tinha avisado que os EUA seriam o novo epicentro.

China sem novas transmissões há dois dias, mas com novos casos importados

A China não deteta novos casos de Covid-19 por transmissão local, oficialmente, há dois dias. No entanto, numa altura em que a normalidade regressava lentamente, o país registou esta quarta-feira 67 novos casos — todos provenientes de quem regressa ao país. Isto porque, quando o vírus começou a atingir o resto do mundo, muitos chineses regressaram ao país, que passou a registar centenas de casos importados. Numa tentativa de travar estas situações, a China proibirá a entrada à maioria dos estrangeiros, incluído àqueles com vistos ou autorizações de residência válidos.

Atualmente, há 3.947 pessoas ainda infetadas na China — valores que já não se registavam desde o final de janeiro. No total, o país registou 81.285 casos de Covid-19, sendo que, dessas, 3.287 morreram.

Itália com a primeira subida em vítimas mortais e contagiados em quatro dias

A boa notícia de que Itália registava uma quebra no aumento de mortos pode não ter passado, afinal, de um erro. Depois de ter sido divulgado o balanço diário, a região de Piemonte, no norte do país, anunciou que 50 pessoas morreram ali durante esta quinta-feira — o que fez aumentar o número de mortos para os 712, e não 662, como tinha inicialmente sido divulgado.

Itália é atualmente o país com o maior número de vítimas mortais e regista mais mortos do que na China (Getty Images)

Feitas as contas, a Itália registou a primeira subida em vítimas mortais em quatro dias e não o quarto dia consecutivo com uma quebra no aumento de mortos. O número global de vítimas mortais, face a esta correção, chega agora aos 8.215. Além desta, a correção feita ao balanço trouxe outra má notícia: pela primeira vez, em quatro dias, Itália volta a crescer mais em número de novos casos.

Itália é atualmente o país com o maior número de vítimas mortais e regista — bem como a Espanha — mais mortos do que na China. Os 80.539 casos que Itália regista desde o início da pandemia ainda não ultrapassam, porém, o número de casos totais na China, 81.285 — ou dos EUA que, apesar de não serem o epicentro do surto, têm agora mais casos: 81.321. No entanto, este limiar (da China ou dos EUA) pode ser ultrapassado já amanhã.

Espanha com aumento de contágios pelo quarto dia consecutivo e prestes a chegar ao pico da curva

O número de mortos em Espanha — o segundo país do mundo com mais vítimas mortais devido ao novo coronavírus — ultrapassou os 4 mil. De acordo com os dados mais recentes, nas últimas 24 horas, morreram 655 pessoas, elevando para um total de 145 o número de vítimas mortais.

Esta quinta-feira registaram-se mais 6.682 novos casos, fazendo subir o total para 56.188 — um número que não para de aumentar há quatro dias. A 22 de março, tinham-se registados 3.272 novos casos — uma descida face aos 3.925 que se tinham registado no dia anterior. O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, acredita que o país pode estar a aproximar-se do “pico da curva” de contágios do novo coronavírus.

França com uma vítima mortal de 16 anos no dia com um maior aumento de mortos e contaminados de sempre

O diretor geral da Saúde francês Jérôme Salomon, anunciou ao fim da tarde desta quarta-feira o mais recente balanço devido ao novo coronavírus em França: 365 morreram nas últimas 24 horas, fazendo subir para 1.696 o número de mortos. Entre as vítimas mortais está uma jovem de 16 anos. Esta quarta-feira, França registou o maior aumento de mortos de sempre. Até agora, o dia 24 de março tinha ficado marcado como aquele em que morreram mais pessoas — e mesmo assim esse número era de 240.

365 morreram nas últimas 24 horas, fazendo subir para 1.696 o número de mortos (Getty Images)

Com mais 3.922 novos casos, há agora 19.155 contaminados em França. Também neste aspeto esta quarta-feira foi o dia em que se registaram a mais novos casos — face aos 3.838 que se tinham registado no passado dia 23 de março.

Estados Unidos com quebra no aumento diário de vítimas mortais, mas passou a ser país com mais casos

O número de mortos registados nos EUA ultrapassou os mil esta quarta-feira, quando se registaram 150 novos casos. São agora 1.046 as vítimas mortais devido ao novo coronavírus. Ainda assim, já há três dias que este país não tinha um número de vítimas mortais diárias tão baixo. Desde 23 de março, quando se registaram 141 novas mortes, que o valor diário não parava de aumentar.

Depois de atualizado o número de vítimas mortais, o The News York Times avançou que há 81.321 pessoas infetadas nos EUA com o novo coronavírus — fazendo com que se torne o país do mundo com mais casos, à frente de qualquer um mesmo a China ou a Itália. Isto significa que, em 24 horas, foram registados mais de 13 mil novos casos — o maior aumento diário de sempre.