Com o estado de emergência decretado em Portugal, a Uber decidiu adotar um conjunto de medidas para fazer face a este contexto, tanto para motoristas como para os utilizadores. Há duas novidades: os motoristas de TVDE  (transporte em veículo de passageiros ligeiros descaracterizados) passam a poder fazer entregas de compras ao domicílio e a Uber Eats vai, em breve, permitir o acesso a produtos de conveniência.

A “Uber Drop-Off” vai permitir que motoristas e operadores TVDE possam “ajudar grandes retalhistas e pequenos comerciantes a entregar os seus produtos nas casas dos portugueses”, refere Manuel Pina, diretor geral da Uber em Portugal, citado em comunicado. Esta nova solução vai, então, permitir que os motoristas façam também entregas ao domicílio, neste caso de retalhistas e empresas de bens de consumo.

Trabalhamos todos os dias para apoiar a nossa comunidade de utilizadores e motoristas durante este momento difícil. A partir de agora, abrimos a nossa aplicação para ajudar grandes retalhistas e pequenos comerciantes a entregar os seus produtos em casa dos portugueses, assim como ajudar os motoristas e parceiros a ultrapassar esta fase que o país atravessa”, refere Manuel Pina.

Além desta solução, também a Uber Eats está a trabalhar para que os utilizadores tenham acesso a produtos de conveniência através da aplicação. A juntar-se a esta medida, e para facilitar “a gestão de tesouraria dos mais de 3000 restaurantes parceiros”, está a disponibilização da opção de transferência diária dos valores faturados através da aplicação da Uber Eats, ao invés da cadência normal de uma vez por semana. “Em breve, iremos também  disponibilizar a opção de transferência diária para os nossos parceiros de entrega”, refere a Uber.

Foram também removidas as taxas de acesso e ativação de conta para todos os restaurantes que adiram à aplicação até 3 de abril (durante o estado de emergência), bem como a taxa de entrega em todos os pedidos — através do código TAXAGRATIS.

Acreditamos que, com esta medida, integralmente suportada pela Uber, estamos a tornar a entrega ao domicílio ainda mais acessível para os portugueses e, com este aumento da procura, a apoiar todos os restaurantes que continuam a usar a aplicação para compensar o encerramento dos seus espaços físicos, assim como a promover o aumento de rendimento dos parceiros de entrega”, refere a Uber em comunicado.

Estas medidas vêm juntar-se às medidas de segurança que a empresa já tinha determinado tanto para a Uber como para a Uber Eats: as entregas de refeições são feitas sem qualquer contacto; o banco dianteiro das viaturas não pode ser ocupado; a restrição da lotação dos carros TVDE e o reembolso de até 25 euros a cada parceiro de entrega na compra de todos os produtos sanitários, mediante a apresentação de um recibo.