O BPI anunciou este domingo um alargamento das condições em que admite dar moratória de crédito aos clientes. Se na lei aprovada no final da semana o Governo indica que as pessoas que tenham perda de rendimento por esta crise (incluindo as pessoas alvo de layoff simplificado), o banco diz que já a partir desta segunda-feira vai apreciar solicitações de carência de capital a todos os clientes em situação regular (que não estejam em incumprimento). Cada caso está “sujeito a aprovação do banco”.

A possível carência de pagamento de capital (não se refere a juros, mas com as taxas de juro nos níveis mínimos em que estão, esse elemento será menos oneroso) pode durar por seis meses, indica o banco em comunicado de imprensa.

A possibilidade não se aplica apenas a crédito à habitação. “O BPI alarga a moratória também ao crédito pessoal e financiamento automóvel, com carência de capital, a pedido dos clientes que estejam em situação de crédito regular, sujeita a aprovação do banco”, refere o comunicado.

O mesmo vai acontecer com as empresas: o BPI admite analisar todos os pedidos que as empresas façam de pedidos de carência, mesmo que não encaixem nos requisitos mencionados na legislação anunciada pelo ministro da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, na última quinta-feira.

Tenho direito à nova suspensão no crédito? E ao layoff simplificado? 22 respostas para quem faz contas à vida