É uma pequena vila da Lombardia. Tem apenas mil habitantes e uma média de idades de 60 anos, segundo a Euronews. Chama-se Ferrera Erbognone, fica a pouco mais de 50 quilómetros de distância de Milão e não daria nas vistas, não fosse por um pormenor extremamente importante: não tem um único caso de Covid-19, muito embora esteja no epicentro do maior surto de Itália. E, por essa razão, já está a ser preparado um estudo aos seus habitantes, para tentar compreender se têm alguns anticorpos específicos.

“Achamos que um estudo aprofundado pode ser útil e pode vir a validar um método”, explicou ao jornal Il Giorno o presidente da Câmara, Giovanni Fassina.

Pedimos aos cidadãos que estão interessados [em participar] que o dissessem e só numa manhã tivemos logo 150 inscritos, alguns eram famílias inteiras. Isso significa que as mil amostras de que o estudo necessita para ser válido em termos estatísticos e científicos é alcançável”, acrescentou Fassina.

A autarquia o Hospital científico de Mondino (Pavia) já desenharam um plano para que sejam recolhidas amostras de sangue e feito posteriormente o estudo. Falta o OK final da região da Lombardia.

Se tudo continuar a avançar, os residentes poderão fazer a recolha de sangue num laboratório numa cidade vizinha, Sannazzaro de ‘Burgundi, segundo o La Regione. “Assim que as inscrições estiverem todas feitas, iniciaremos a recolha”, especificou o autarca.

Quanta às razões para explicar a não existência de casos de infeção pelo novo coronavírus na vila, o estudo irá analisar questões genéticas, mas esse pode não ser o único motivo. “A nossa população tem sido extremamente fiel ao respeito pelas ordens de proteção da saúde pública”, acrescenta Fassina.

Ferrera Erbogne, contudo, não é o único oásis relativamente ao coronavírus. De acordo com o Il Giorno, na Lombardia há ao todo 18 municípios onde ainda não se registaram casos.