O movimento português tech4COVID19 lançou mais um projeto: a aplicação “Posso ir?” visa acabar com as filas  de espera nos estabelecimentos comerciais para que, no momento em que se deslocam, os consumidores evitem aglomerados de pessoas e estejam eventualmente mais expostos ao novo coronavírus.

A plataforma permite aos utilizadores perceberem como está a afluência aos diversos estabelecimentos que estão nas suas proximidades, como mercearias, super e hipermercados, em formato de lista ou num mapa, para evitar que as pessoas se dirijam aos espaços que têm maior movimento naquele momento. O objetivo é o de promover o distanciamento social.

A atualização sobre a lotação do espaço e as filas é feita pelos próprios utilizadores, que vão reportando como está determinado estabelecimento. As entidades parceiras desta plataforma também podem fazê-lo, porque terão um dos seus funcionários responsável por manter o estado da fila atualizado.

“Num momento em que é importante não estar em contacto próximo com outras pessoas, mesmo em locais que precisamos mesmo de frequentar para comprar bens essenciais, considerámos que era necessária uma plataforma que protegesse as pessoas das grandes aglomerações nesses estabelecimentos. Foi assim que surgiu a “Posso ir?”, uma solução tecnológica para este problema, que permite escolher as superfícies comerciais menos propícias à propagação da COVID-19.”, afirma Luís Certo, um dos coordenadores do projeto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A aplicação Posso ir? vai estar disponível para sistema operativo IOS e Android e é gratuita. É o mais recente  projeto do movimento tech4COVID19, que já lançou cerca de 10 soluções tecnológicas para apoiar na luta contra a pandemia de Covid-19.

Startups portuguesas juntam-se na luta contra o coronavírus

Este movimento português tem cerca de 40 projetos tecnológicos em curso, como ações para a melhoria do rastreamento de redes de contágio, facilitar videochamadas entre médicos e doentes; criar uma rede de suporte a médicos e enfermeiros deslocados; criar um chatbot para se tirarem dúvidas sobre os apoios concedidos pelo estado às empresas, entre outras.

O tech4COVID19 foi criado por um grupo de fundadores da comunidade tecnológica portuguesa para combater a nova estirpe do coronavírus. São mais de 3500 pessoas das mais variadas áreas.