O primeiro-ministro britânico recebeu este domingo alta do hospital, onde estava internado há uma semana devido a um agravamento do estado de saúde após contágio com covid-19, mas não vai regressar já ao trabalho, informou um porta-voz.

Horas depois, o Boris Johnson publicou um vídeo na sua conta de Twitter, com louvores e agradecimentos ao Serviço Nacional de Saúde britânico. “O Serviço Nacional de Saúde salvou-me a vida”, declara. Entre os profissionais de saúde destacados pelo líder do Governo britânico está um enfermeiro português (“de perto do Porto”) que, juntamente com uma enfermeira neo-zelandesa, ficou, segundo Boris, ao seu lado durante 48 horas.

“O primeiro-ministro recebeu alta do hospital para continuar a sua recuperação”, que será feita em Chequers Court, a residência de campo, a 70 quilómetros de Londres.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Boris Johnson estava no hospital de St. Thomas, em Londres, onde foi internado a 05 de abril “por precaução” para fazer testes devido a sintomas persistentes da doença.

Johnson saiu na quinta-feira dos cuidados intensivos, onde passou três noites, devido à persistência dos sintomas da doença, com a qual foi diagnosticado a 26 de março, e estava atualmente numa enfermaria normal.

“A conselho da sua equipa médica, o primeiro-ministro não vai regressar imediatamente ao trabalho”, disse a mesma fonte, acrescentando que Boris Johnson agradece “a todos em St Thomas ‘pelo excelente tratamento que recebeu”.

No Reino Unido, há 9.875 mortos devido à covid-19 e 78.991 casos confirmados.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 109 mil mortos e infetou quase 1,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, quase 360 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.