Oito funcionários da Unidade de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) da Régua, no distrito de Vila Real, testaram positivo à Covid-19 e vão manter-se ao serviço a cuidar dos 21 utentes também infetados, disse o presidente da autarquia.

José Manuel Gonçalves afirmou à agência Lusa que foram conhecidos, até ao momento, nove resultados dos testes feitos aos funcionários da UCCI, sendo oito positivos e um negativo.

Nesta unidade já tinham sido confirmados 21 utentes com Covid-19, permanecendo ali internados 25 idosos, três que testaram negativo e um inconclusivo.

De acordo com o presidente, a estratégia passa “por gerir o caso dentro de portas”.

Por disponibilidade deles e de forma voluntária, os funcionários que testaram positivo querem continuar a cuidar dos utentes. Todos eles querem manter-se ao serviço dos idosos e manter a unidade em funcionamento”, salientou o autarca.

São, acrescentou, pessoas que se encontram assintomáticas e que permanecem em isolamento dentro da unidade, onde foi ativado o plano de contingência.

“Para nós este é um motivo de grande satisfação e é um orgulho ter gente desta a trabalhar numa unidade com estes problemas. São autênticos guerreiros e guerreiras que estão a ter esta atitude”, salientou José Manuel Gonçalves.

O autarca do Peso da Régua ressalvou que esta estratégia “foi concertada” entre o município, a proprietária do espaço que é a Santa Casa da Misericórdia, a unidade de saúde pública e o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Douro Norte.

“Estamos na expectativa de ultrapassar esta situação mantendo toda a gente na unidade, sem haver grandes constrangimentos no tratamento dos utentes. Uma vez que eles estão assintomáticos, achamos que retirá-los de lá, neste momento, seria mais desconfortável e não estavam salvaguardados os interesses dos utentes”, referiu.

José Manuel Gonçalves lembrou que se trata de uma unidade de cuidados continuados de “longa duração” e que, por isso, acolhe casos “mais complexos”.

Os idosos estão a ser monitorizados permanentemente pelo diretor clínico e, passados estes dias, “mantêm-se estáveis”. “Têm outras patologias, mas sem sintomas da doença e sem registo de agravamento do quadro clínico deles”, apontou o autarca.

Os primeiros casos nesta unidade foram conhecidos há cerca de uma semana e foram identificados após rastreio promovido pelo município e a misericórdia.

Esta é, segundo José Manuel Gonçalves, a situação que “mais está a preocupar” no Peso da Régua e a “tomar maior dimensão até em número de casos”.

Segundo os dados da autarquia, no concelho existem 43 casos de Covid-19, dos quais 29 estão associados à UCCI.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista esta terça-feira 567 mortos associados à covid-19, mais 32 do que na segunda-feira, e 17.448 infetados (mais 514).