A operadora de jogo Wynn Macau registou mais de 154 milhões de dólares (142,6 milhões de euros) de prejuízo no primeiro trimestre deste ano, menos 180% em relação a igual período de 2019.

Os resultados divulgados na quarta-feira indicam que o EBITDA (lucros antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) no Wynn Palace e no Wynn Macau manteve-se positivo, mas registou ainda assim perdas de 212,4 milhões de dólares (197 milhões de euros) e de 144,7 milhões de dólares (134 milhões de euros), respetivamente.

Valores justificados com o facto de as operações em ambos os casinos que a operadora explora na capital mundial do jogo terem sido suspensas por um período de 15 dias em fevereiro devido às medidas de contenção da pandemia da Covid-19 determinadas pelo governo do território.

Capital mundial do jogo, Macau é o único local na China onde o jogo em casino é legal. Operam no território seis concessionárias: Sociedade de Jogos de Macau, fundada pelo magnata Stanley Ho, Galaxy, Venetian (Sands China), Melco Resorts, Wynn e MGM.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O jogo em Macau registou em março quebras nas receitas na ordem dos 79,7%, em relação a igual período de 2019, mês em que as medidas para conter o surto da Covid-19 praticamente encerraram as fronteiras do território e depois de em fevereiro os casinos terem fechado pelo menos 15 dias.

Os casinos fecharam 2019 com receitas de 292,5 mil milhões de patacas (cerca de 34,8 milhões de euros), menos 3,4% do que no ano anterior.