O Camões – Instituto da Cooperação e da Língua contribuiu com 275 mil euros para o combate à Covid-19 em Angola, Moçambique, Timor-Leste e Venezuela nos setores da saúde maternoinfantil, assistência alimentar, abrigo e proteção de populações deslocadas.

Segundo um comunicado no “site” do organismo do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Camões associa-se, desta forma, ao “esforço da comunidade internacional em corresponder aos apelos lançados por diversas agências das Nações Unidas para reforçar a sua capacidade de resposta humanitária à crise pandémica”.

Os 275 mil euros destinam-se ao combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus em Angola, Moçambique, Timor-Leste e Venezuela, “países parceiros estratégicos da cooperação portuguesa”. A doação do Camões será distribuída através do Programa Alimentar Mundial (PAM), Fundo das Nações Unidas para a População, Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e Organização Internacional das Migrações (OIM), lê-se na mesma nota.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 286 mil mortos e infetou mais de 4,1 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.163 pessoas das 27.913 confirmadas como infetadas, e há 3.013 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Por regiões, a Europa soma mais de 157.700 mortos (mais de 1,7 milhões de casos), Estados Unidos da América e Canadá mais de 85.700 mortos (mais de 1,4 milhões de casos), América Latina e Caribe mais de 21.500 mortos (mais de 384 mil casos) ) e Ásia quase 11 mil mortos (mais de 307 mil casos).

O número de mortos da Covid-19 em África subiu esta terça-feira para os 2.336, com mais de 66 mil infetados em 53 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.