Há 690.150 portugueses com o cartão de cidadão caducado, de acordo com números do Instituto dos Registos e Notariado (IRN) consultados pelo Diário de Notícias.

Este número surge numa altura em que muitas lojas do cidadão e conservatórias do registo civil ainda estão fechadas, por causa da pandemia da Covid-19.

A renovação do cartão de cidadão tem de ser feita presencialmente, mas as marcações só podem ser feitas por telefone ou pela internet — e, de acordo com o Diário de Notícias, as tentativas de marcação falham sempre, independentemente do distrito ou data em que se tente.

A marcação online para renovar o cartão de cidadão recomeçou na semana passada, a 4 de maio. Nos dois primeiros dias, os únicos em que de acordo com o Diário de Notícias foi possível fazer agendamentos, “foram contabilizados um total de 15.873 agendamentos e foram realizados 11.010 atendimentos”, de acordo com resposta do Ministério da Justiça àquele jornal.

Por causa da pandemia, o Governo decretou que todos os documentos de identificação e outros (cartão de cidadão, carta de condução, registo criminal, certidões e vistos de residência) expirados depois de 24 de fevereiro são válidos até 30 de junho de 2020. Depois de 30 de junho, os mesmos documento continuarão a ser válidos, mas apenas se o seu titular tiver um comprovativo de agendamento.