Apesar de em muitos países afetados pelo novo coronavírus já se começarem a assistir à reabertura gradual de espaços de restauração — tudo sempre sujeito a apertadas regras de segurança e novos protocolos –, esses espaços que começam a retomar o normal possível são na maioria casas de comida mais informal. Do reino dos Michelin e do fine dining pouco ou quase nada se tem falado mas esta sexta-feira surgiu um desenvolvimento que apanhou muitos de surpresa: o restaurante Noma, na Dinamarca, que por quatro vezes foi considerado pelo The World’s 50 Best Restaurants como o melhor do mundo, vai abrir portas no próximo dia 21 de maio, agora a servir hambúrgueres e vinho.   

O hiper famoso restaurante do chef René Redzepi, que fica nos arredores de Copenhaga, é o grande protagonista da ascensão à fama da gastronomia nórdica mas por enquanto, depois de terem passado os últimos meses de portas fechadas, decidiram instaurar este conceito temporário. “Nesta primeira fase de reabertura, gostaríamos de oferecer algo que todos conhecemos e amamos: vinho e hambúrgueres”, lê-se num comunicado de imprensa oficial citado pelo The Copenhagen Post. “Estamos muito animados por ter a chance de receber novos rostos no nosso espaço, tirar proveito de nossa bela área exterior e receber todos de braços abertos, escreve ainda o restaurante. Ao que parece, a decisão prende-se com o facto do restaurante precisar de mais tempo para preparar o seu regresso em modo fine dining.

Na página de Instagram do restaurante, explicam que “as restrições na Dinamarca diminuíram, permitindo a reabertura” mas, mesmo assim, vão “precisar de um tempo extra” para se prepararem “para a reabertura oficial do Noma, como todos o conhecemos”. Também o próprio René Redzepi — que já foi capa da revista Time, que o considerou um dos “Deuses da Comida” — utilizou a sua conta de Instagram para abordar estes “tempos loucos e incertos.”  Redzepi sente “que na primeira fase da reabertura queremos estar abertos a todos. Precisamos de nos curar e não há nada melhor para isso que ir beber um copo e comer um hambúrguer. Todos estão convidados.”

Desta forma, até que o seu tipo de cozinha esteja de volta e a funcionar a todo o vapor, os clientes do Noma podem desfrutar de um Noma cheeseburger ou veggie burger (só há duas opções), cujo preço rondará as 125 coroas dinamarquesas, em modo take-away, ou 150 coroas, para comer no local (cerca de 16 e 20 euros, respetivamente). O pão dos hambúrgueres foi desenvolvido pela conhecida casa de hambúrgueres “Gasoline Grill” (também na Dinamarca), que foi recentemente eleita uma das melhores do mundo. Os copos de vinho estarão disponíveis a partir de 95 coroas (13 euros), enquanto as cervejas começarão nas 50 coroas (cerca de 6,70 euros). O novo conceito estará aberto de quinta a domingo, das 13h às 21h, e não há reservas. Os clientes só poderão fazer o seu pedido à porta, o acesso ao interior do restaurante está vedado por enquanto — quem quiser comer “in loco” terá de se sentar na enorme zona de esplanada que, nos últimos tempos, prepararam.