Londres vai autorizar o ajuntamento até seis pessoas a partir de segunda-feira no âmbito do plano para aliviar o regime de confinamento em vigor para travar a pandemia de Covid-19, anunciou esta quinta-feira o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

Os grupos vão poder encontrar-se em parques ao ar livre, incluindo para piqueniques e churrascos, e em jardins privados, mas sem contemplar a entrada em casas de outros agregados e continuando a respeitar o distanciamento social.

“Estas mudanças significam que amigos e familiares podem começar a encontrar-se com entes queridos, talvez vendo pais ou avós ao mesmo tempo“, comentou Boris Johnson.

Até agora, as regras permitiam apenas encontros em locais ao ar livre públicos e somente com mais uma pessoa de um agregado familiar diferente de cada vez.

Na segunda-feira também vão reabrir parcialmente escolas primárias para as crianças dos primeiros anos, entre os 5 e 7 anos e para os do último ano do ensino primário (10 a 11 anos). Adolescentes com entre 15 e 17 anos, que vão ter submetidos a exames importantes no programa educativo britânico em 2021, vão poder ter “contacto pessoal” de professores nas escolas secundárias a partir de 15 de junho.

Estas medidas aplicam-se a Inglaterra, pois, devido à autonomia da Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, os regimes de confinamento têm regras e calendários distintos nas diferentes regiões do Reino Unido.

Esta quinta-feira, a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, anunciou que vai ser permitido o encontro ao ar livre de grupos de até oito pessoas de dois agregados familiares, a reabertura de lojas de jardinagem e centros de reciclagem, mas as escolas vão continuar fechadas.

A Irlanda do Norte já tinha autorizado o encontro de grupos de até seis pessoas desde 19 de maio e esta quinta-feira a primeira-ministra, Arlene Foster, está a avaliar a hipótese de permitir casamentos com até 10 pessoas a partir de 8 de junho.

O Reino Unido registou até esta quinta-feira 37.837 mortes e 269,127 casos de contágio durante a pandemia, segundo o balanço do Ministério da Saúde britânico.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 355 mil mortos e infetou mais de 5,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.