O Presidente da República fez este domingo um apelo aos jovens para não fazerem “festas com centenas de pessoas” e disse que “não faz sentido que jovens estejam a organizar festas com centenas de pessoas e muito próximas e sem preocupação de distanciamento”. Minutos depois da declaração de Marcelo Rebelo de Sousa, a GNR vinha informar que tinha travado uma “rave ilegal” na madrugada de sábado que decorreu numa herdade ribatejana onde se juntavam mais de 40 pessoas, 10 delas com autos por consumo de estupefacientes. Como resultado da operação, a GNR deteve sete pessoas, com idades entre os 18 e os 40 anos.

No comunicado, a GNR explica que tudo “começou por uma fiscalização de trânsito na cidade de Rio Maior”, mas “após uma denúncia anónima, os militares deslocaram-se a uma herdade, em São João da Ribeira”, tendo então “detetado uma festa de música eletrónica que decorria ilegalmente no interior de uma tenda, dissimulada na vegetação, com a participação de cerca de 40 pessoas e sem qualquer tipo de licenciamento”.

Entre os sete detidos, estão dois homens pelo crime de condução sob efeito de álcool e cinco vão responder pelo crime de tráfico de estupefacientes. A GNR apreendeu 78 doses de haxixe, 58 doses de MDMA e 19 doses de cocaína.

A operação contou com a polícia de intervenção de Santarém. A GNR não faz, porém, nenhuma alusão no comunicado ao facto da festa violar as regras impostas pelas autoridades de saúde relativamente à pandemia de Covid-19.