Foi o último adeus a George Floyd: esta terça-feira, centenas de pessoas estiveram na igreja Praise Church de Houston, para se despedir do norte-americano que morreu depois de oito minutos com o joelho de um polícia de Minneapolis sobre o seu pescoço. George Floyd é enterrado esta terça-feira.

O funeral seguiu-se a um serviço funerário privado na igreja de Houston, depois de homenagens semelhantes terem sido feitas em Minneapolis, onde morreu, e na Carolina do Norte, onde nasceu. Floyd vai ser enterrado numa campa ao lado da sua mãe, refere o jornal The New York Times.

Sobrinha de Floyd: “Enquanto respirar, vou exigir que seja feita justiça”

Um dos discursos mais emotivos na cerimónia que antecedeu o enterro foi proferido por Brooke Williams. Emocionada, a sobrinha de George Perry Floyd prometeu: “Enquanto respirar, vou exigir que seja feita justiça para o Perry”. Brooke Williams acusou os quatro polícias que estiveram envolvidos na operação que matou o seu tio de não terem mostrado “coração ou alma” e acrescentou:

Aquele polícia não mostrou remorsos enquanto via a alma do meu tio abandonar o seu corpo. Ele implorou e implorou muitas vezes para te levantares, mas só o empurraste com mais força [apontou, dirigindo-se ao polícia Derek Chauvin]. Porque é que o sistema tem de ser corrupto e incorrigível?”, indignou-se.

“Que não haja mais crimes de ódio, por favor. Alguém disse que ia ‘fazer a América fantástica outra vez’ [Make America Great Again]. Mas quando é que a América foi fantástica?”, questionou.

US-POLITICS-RACE-UNREST

A sobrinha de George Floyd comoveu-se, acusou os polícias envolvidos na morte do tio de não terem mostrado “nem coração nem alma” e perguntou a Trump: “Quando é que a América foi ‘great’?” (@ DAVID J. PHILLIP/POOL/AFP via Getty Images) 

Biden dirige-se à filha de Floyd, de 6 anos: “Sei que tens muitas perguntas”

Um dos oradores, o antigo vicepresidente dos Estados Unidos da América e atual candidato à nomeação presidencial pelo Partido Democrata, Joe Biden, também falou, mas através de videochamada. Biden disse: “Não podemos voltar as costas e ignorar o racismo que fere a nossa própria alma. Não podemos virar as costas. Não devemos virar as costas”, apontou, criticando ainda “o abuso sistemático que ainda atormenta a vida americana”.

Biden dedicou ainda algumas palavras à filha de George Floyd, Gianna, de apenas seis anos: “És tão corajosa. O teu pai está a olhar de cima e está tão orgulhoso de ti”.

Sei que tens muitas perguntas, querida. Nenhuma criança deveria ter de fazer as perguntas que demasiadas crianças negras têm de fazer há gerações: ‘porquê, porque é que o pai partiu?’ “

US-POLITICS-RACE-UNREST

A filha de George Floyd, Gianna, de apenas seis anos (@ POOL/AFP via Getty Images)

Governante de Houston anuncia que vai proibir estrangulamentos

O mayor de Houston, Sylvester Turner, afirmou que está a ser preparada uma ordem executiva para proibir as técnicas de estrangulamento e asfixiamento — que servem para imobilização, mas que levaram à morte de George Floyd — por parte das autoridades. A mesma medida vai aliás ser decretada em Phoenix.

O que essa ordem executiva vai dizer é que nesta cidade não serão permitidas técnicas de asfixiamento. Nesta cidade, vamos exigir uma diminuição na escalada [de tensão]. Nesta cidade, é preciso avisar alguém de que vais disparar. Nesta cidade, tens um dever de intervir. Nesta cidade, exigiremos relatórios policiais abrangentes. Nesta cidade, tens de esgotar todas as alternativas antes de disparar. E haverá mais coisas nesta ordem executiva”, referiu o mayor de Houston.

O governante local referiu ainda que dia 9 de junho passará a ser conhecido como “Dia de George Perry Floyd” na cidade de Houston. “Vamos honrá-lo”, referiu.

US-POLITICS-RACE-UNREST

Rodney Floyd, irmão de George Floyd, a falar durante o funeral (@ DAVID J. PHILLIP/POOL/AFP via Getty Images)

Caixão esteve aberto. Políticos e celebridades presentes

O funeral foi conduzido pelo reverendo Al Sharpton, que falou longamente sobre racismo nos EUA e sobre a vida de George Floyd.. O caixão esteve previamente aberto para as despedidas finais, o que a estação CBS News relacionou com a morte de Emmett Till, um rapaz negro de 14 anos que foi brutalmente assassinado em 1955 e cujo caixão foi mantido aberto por pedido da mãe, que queria que a população fosse confrontada com aquilo que tinha sido feito ao seu filho.

Devido às restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, só era permitida a presença de um máximo de 500 pessoas de cada vez no interior da igreja. Além de familiares e amigos, estiveram presentes algumas celebridades e figuras políticas norte-americanas, como a Congressista de Houston Sheila Jackson Lee, o pugilista Floyd Mayweather, o congressista Al Green e o ator Jamie Foxx.

No exterior da igreja foram colocados arranjos florais por manifestantes, que ali se reuniram apesar de não poderem entrar. Um dos arranjos florais mais fotografados tinha as iniciais do movimento Black Lives Matter (BLM) inscritas.

Como uma nota falsa de 20 dólares levou à morte de Floyd e deixou os Estados Unidos a ferro e fogo

Pode ver as imagens do último adeus a George Floyd na fotogaleria no topo do artigo.