A pandemia fez das pequenas reuniões ao ar livre uma das poucas formas de juntarmos amigos e familiares. Seguindo todas as precauções, multiplicam-se os piqueniques, sejam eles almoços, lanches ou petiscos de final de tarde. Por todo o país, há quem se dedique a tornar a tarefa mais fácil, entre empresas especializadas e hotéis que querem proporcionar momentos de evasão a céu aberto aos seus hóspedes e não só. Entre Lisboa, Porto, Alentejo e ilhas, com passagens pelo Douro, Algarve, Açores e Madeira, eis um roteiro de 14 piqueniques para o atípico verão de 2020.

No Jardim da Estrela

Quiosque Bananacafe, Lisboa. Todos os dias. 12 euros por pessoa

Este jardim já era, por excelência, um dos locais favoritos dos lisboetas para piqueniques de toda a espécie — festas de aniversário, reencontros entre amigos de longa data e sessões de solário. Agora, vai poder sair de casa de mãos a abanar. O quiosque do Bananacafe acaba de lançar um menu para quem quer sentar-se na relva, acompanhado de certo e toalha, como manda a tradição. As reservas podem ser feitas previamente ou no próprio dia. A ementa inclui húmus com palitos de cenoura, um salgados e salada à escolha, um mini hambúrguer com batata doce frita e três pequenas sobremesas: tarte de lima, brownie e banana bread. As bebidas não estão incluídas. Quanto ao sítio onde vai estender a toalha, tem um jardim inteiro à disposição.

© Divulgação

Nos Parques de Sintra

Parques da Pena e de Monserrate e Jardins de Queluz, Sintra. Último sábado de cada mês (até setembro). A partir de 38 euros (para duas pessoas)

São três os parques e jardins de Sintra que se abrem aos adeptos da modalidade no último sábado de cada mês, naqueles que ficam agora instaurados como os “Dias do Piquenique”. O objetivo é recuperar a tradição de outros tempos, já que as refeições nestes espaços verdes remontam ao século XIX, desde D. Fernando II e da sua segunda esposa aos hábitos britânicos da família Cook. Dois a dois ou em família, os espaços ficam agora reservados em exclusivo aos visitantes com cesta, de forma a cumprir o distanciamento social entre grupos. A ementa segue o estilo rústico da região e inclui sumo de fruta natural, o famoso pão com chouriço saloio, quiche, sandes de lombo, salgados, salada, fruta e, claro, as indispensáveis queijadas de Sintra. A capacidade dos espaços é limitada, daí que as reservas devam ser feitas junto da Parques de Sintra até às 12h das quarta-feira anterior.

© José Marques Silva

No meio da vinha

Sabores da Quinta, Celorico de Basto. Todos os dias. 25 euros por pessoa

Este piquenique é servido em plena vinha, a mesma que Anthony Bourdain visitou quando esteve em Portugal pela primeira vez, em 2001. Quem o serve é o Sabores da Quinta, restaurante especializado em cozinha tradicional portuguesa, que monta o aparato necessário a cerca de dois quilómetros dali, na Quinta das Vessadas. A cobiçada cesta inclui fígado de cebolada, salada de feijão frade, rissóis, bolinhos de bacalhau e vinho verde, entre outros petiscos do Minho.

Piqueniques: 8 chefs, 8 receitas para pôr na cesta

A pedal

Sheraton Cascais Resort, Cascais. Todos os dias. A partir de 31 euros por pessoa

Em Cascais, a cesta viaja sobre duas rodas. Com a chegada do bom tempo, o Sheraton retomou o programa “Picnic Basket Tour”, uma experiência que não está reservada a hóspedes e que alia umas voltas de bicicleta ao prazer da refeição ao ar livre. O percurso é definido por cada aventureiro, as bicicletas (da Europcar) já estão incluídas e o passeio, ou o próprio do repasto, pode estender-se pelo dia inteiro. O menu é composto por húmus de entrada, sandes e wraps à escolha, salada, fruta e doces, incluindo bolas de Berlim e pastéis de nata em miniatura. As reservas devem ser feitas com 24 horas de antecedência.

© Divulgação

Na Madeira

Lá Fora, Funchal. Todos os dias. 25 euros por pessoa

É uma novidade fresquinha no universo dos piqueniques. Junho de 2020 assistiu ao aparecimento do Lá Fora, um serviço especializado sediado no Funchal — uma cesta de verga para lá de completa e que inclui algumas das estrelas da gastronomia da ilha. Ao pão artesanal, queijos e enchidos, junta-se a tarde de requeijão e espinafres, os filetes de cavala em conserva, vinho, banana bread e macarons de maracujá. A cereja no topo deste bolo é mesmo a paisagem da ilha. Quem sabe se a possibilidade de um piquenique em plena natureza não o ajuda a decidir-se sobre a próxima escapadinha dentro do país.

© Facebook

Nos Açores

Maria Pic-nic, Ponta Delgada. Todos os dias. Entre 10 e 20 euros por pessoa

No outro arquipélago, também há cestas a circular, em particular as da Maria Pic-nic. As refeições podem ser entregues em qualquer ponto da ilha de São Miguel e o rol de escolhas é extenso. Inclui ementa regional, churrasco, receitas de inspiração vulcânica e pratos para degustar no campo.

Na barragem

Herdade dos Delgados, Mourão. Todos os dias. 60 euros (dois adultos e uma criança)

Para hóspedes e não só, o hotel Herdade dos Delgados proporciona um repasto com vista para a baía, em pleno Alentejo. Falamos da barragem do Alqueva e da paisagem natural que a circunda, neste caso com uma cesta bem recheada a acompanhar. Da salada fresca aos enchidos e queijos regionais, passado pelo vinho tinto da casa, a ementa é ideal para repor energias, sobretudo depois de uma caminhada ou da prática de uma modalidade náutica. Além deste existem outros hotéis geridos pela Amazing Evolution que providenciam a experiência de piquenique. É o caso da Quinta dos Machados, em Mafra, da Aldeia da Pedralva, em Vila do Bispo, e do Fonte Santa, em Monfortinho.

Quinta dos Machados © Divulgação

No Olival

Torre de Palma Wine Hotel, Monforte. Todos os dias. 30 euros por pessoa

O calor do Alto Alentejo é atenuado pela sombra das oliveiras. Para a reabertura, o Torre de Palma Wine Hotel concebeu um programa de atividades ao ar livre e que tira partido das diferentes paisagens da herdade, localizada no distrito de Portalegre. Entre elas estão os piqueniques, também disponíveis para não hóspedes. O olival foi o cenário escolhidos e os acepipes ficam sujeitos ao cardápio regional, com pão, queijos, enchidos e compotas.

© Divulgação

No Douro

Quinta da Roêda, Alijó. Todos os dias. A partir de 30 euros por pessoa

Este piquenique também acontece numa vinha, embora a envolvente histórica seja um pouco diferente. Falamos do berço dos vinhos do Porto Croft, uma casa com mais de 430 anos de história, mais propriamente da Quinta da Roêda, onde, entre provas e visitas guiadas, também há tempo (e espaço) para estender a toalha entre videiras e degustar uma refeição fiel à gastronomia da região. Pão, enchidos, queijos, fruta da época, frutos secos, tarte de amêndoa, uma salada fresca e vinho compõem a cesta clássica, que pode sempre sofrer alguns upgrades. Quem optar por integrar o piquenique numa estadia no hotel mais próximo, o Vintage House, tem sempre o programa “Douro Wine Lover”, com duas noites e duas provas de vinhos, uma delas comentada e com o vale como pano de fundo.

Na Foz

Tavi, Porto. Todos os dias. 14,50 euros por pessoa

Na verdade, a Foz é só o ponto de partida daquele que pode ser um longo e agradável dia passado na relva. Tudo começa na Tavi, conhecida confeitaria Portuense que, além do serviço de entregas, também poupa trabalho a quem planeia sair para um piquenique. E variedade não falta — sumo de laranja natural, mini quiches, batatas fritas, rissóis e croquetes, pequenos panados de frango, bicos de pato com fiambre, salada de fruta e um sortido de bolos em miniatura. Copos, guardanapos, pratos e talheres também estão incluídos, apenas o cesto é opcional e tem um custo de 12,50 euros. As encomendas devem ser feitas com 48 horas de antecedências.

© Divulgação

No Porto

Piquenique, Porto. Todos os dias. Preços variam entre 15 e 30 euros por pessoa

É na Invicta que estão as verdadeiras peritas, não só em fornecer, como em organizar estes momentos ao ar livre. Logo o nome diz tudo — a Piquenique nasceu em 2008, pela mão de Diamantina e das duas filhas, Andreia e Eduarda. O cake design começou por ser o grande trunfo deste projeto familiar, mas os piqueniques vieram logo a seguir. O negócio cresceu, chegou a ter uma loja física, mas hoje continuam a ser as celebrações em plena natureza a grande especialidade. Dos acepipes a elementos de decoração e até de mobiliário para espaços exteriores, nada é deixado ao acaso. Sempre no Porto e arredores, as festas de aniversário são dos eventos que têm mais saída, basta espreitar o Instagram para perceber porquê. É tudo uma questão de esmero.

© Divulgação

Em Lisboa

Miolo, Lisboa. Todos os dias. Preços variam entre 20 e 35 euros por pessoa

Há pouco mais de um ano, Catarina e João abriram uma cafetaria no Bairro Alto. Meses depois, estavam a aceitar as primeiras reservas para organizar piqueniques. O verão foi sem mãos a medir, mas este promete ser ainda mais preenchido. A pandemia tornou os convívios ao ar livre ainda mais apetecíveis, razão pela qual a Miolo não se limita a confecionar comidas e refrescos, entre os quais há pequenas sandes, quiches, saladas, doces e frutas, e providencia também decorações que ajudem a tornar o ambiente mais acolhedor. Baby showers, festas de aniversário e despedidas de solteiro são as ocasiões mais recorrentes. Em nenhuma delas entram peças descartáveis, tudo é servido em loiça a sério.

© Instagram

Na serra

Casa de São Lourenço, Manteigas. Todos os dias. A partir de 18 euros por pessoa

Longe da azáfama da cidade, a proposta da Casa de São Lourenço é que o cenário do próximo piquenique seja o Parque Natural da Serra da Estrela. Para isso, este hotel ajuda-o a preparar o farnel, com três modalidades à escolha — numa caixa, dentro da mochila ou na tradicional cesta, versão em que o piquenique é montado onde os clientes quiserem. A empada de legumes, a sandes de presunto, queijo de ovelha e rúcula, a salada de tomate coração de boi, o pão de ló de Alfeizerão e o pastel de feijoca são algumas das iguarias sugeridas, numa região cheia de sabores para descobrir. O programa está disponível também para quem não está hospedado no hotel.

© José Vicente

Onde sempre sonhou

P.L.A.C.E.

Tudo nasce do desejo do cliente. Da união de competências da Chefs Agency, da Martins Wine Advisor e da Blue Colletive nasceu o P.L.A.C.E. (sigla de People Love a Cool Experience). Entre as muitas experiências que o novo projeto vem proporcionar, os piqueniques estão mais do que incluídos, apenas com uma dose extra de criatividade e surpresa. Da escolha do local e da vertente cultural ao menu assinado por um reputado chef nacional e com vinhos à altura, cada evento é pensado isoladamente com o objetivo de concretizar os desejos mais elaborados. Neste caso, o orçamento é mesmo o único limite.