O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer que as escolas norte-americanas reabram já no início do novo ano letivo, apesar de o número de casos de Covid-19 continuar a subir no país e ter batido no último fim-de-semana mais um recorde de casos diários — e de o principal especialista em doenças infecciosas do país, Anthony Fauci, assegurar que os EUA ainda estão a viver apenas a primeira vaga da infeção.

Numa curta mensagem publicada no Twitter na noite de segunda-feira, toda em letras maiúsculas, Trump exigiu: “As escolas têm de abrir no outono“. Os vários estados norte-americanos têm autonomia para decidir de que forma vão reabrir os serviços e instalações depois do confinamento, mas o Presidente tem pressionado os governadores no sentido de reabrir o país o mais rapidamente possível.

Porém, a situação da pandemia da Covid-19 no país não dá sinais de abrandar. No último sábado, os EUA bateram mais um recorde no número diário de novos contágios por coronavírus: mais de 60 mil novos casos em 24 horas. Esta terça-feira, o número de novos casos foi de quase 55 mil — e em 24 horas morreram 357 pessoas.

Os Estados Unidos são, de longe, o país mais afetado pela pandemia da Covid-19 em todo o mundo. Os números globais compilados pela Universidade Johns Hopkins mostram que os EUA já registaram 2.938.624 casos de Covid-19, quase o dobro do segundo país na lista — o Brasil, com 1.623.284 casos diagnosticados. No total, já morreram 130.306 pessoas nos EUA vítimas da Covid-19.

O médico norte-americano Anthony Fauci, maior especialista em doenças infecciosas do país e destacado membro da equipa da Casa Branca que está a coordenar a resposta à Covid-19 (e que se tornou conhecido por corrigir publicamente Donald Trump), afirmou que os Estados Unidos ainda estão enterrados “até aos joelhos” na primeira vaga da pandemia.

Covid-19: EUA bate recorde diário de casos com mais de 60 mil infetados

Numa entrevista por videoconferência com o diretor do Instituto Nacional de Saúde, Francis Collins, Fauci, que é o diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, assegurou que a situação atual nos Estados Unidos “não é boa”. “É uma situação grave com a qual temos de lidar imediatamente”, afirmou.

Fauci disse ainda que o país nunca conseguiu baixar o número de novos casos de Covid-19 ao nível do que era expectável e considerou que o aumento do número de casos que se está a verificar por estes dias ainda não corresponde a uma “segunda vaga” da infeção. Antes pelo contrário, sublinhou, o país ainda está enterrado “até aos joelhos” na primeira vaga.