O iX3, o primeiro SUV eléctrico da BMW já é uma realidade. Acaba de ser apresentado e tem o início da produção agendado para Setembro, na fábrica da BMW Brilliance Automotive em Shenyang, na China, propriedade de chineses e alemães. Primeiro chegará ao mercado local e só depois rumará à Europa, onde deve desembarcar no primeiro trimestre de 2021. Em Portugal, a chegada das primeiras unidades está prevista logo para o início do ano, em princípios de Janeiro, pelo que a rede de concessionários da marca começa desde já a aceitar encomendas, arrancando o valor de comercialização nos 80.000€, preço que já inclui o IVA.

Conforme temos vindo a dar conta no Observador, o iX3 é mais uma versão que vem ampliar a gama do X3 do que um produto radicalmente novo. Com o X3, a marca bávara já conta com versões a gasolina, a gasóleo, híbridas e híbridas plug-in, agora passa a ter também uma alternativa puramente eléctrica, assente na mesma plataforma que serve os restantes membros da família, com as devidas alterações para montar o conjunto eléctrico.

9 fotos

A locomover o iX3, que só estará disponível com tracção traseira, encontra-se um motor eléctrico com 210 kW (286 cv) e 400 Nm, montado no eixo posterior e a transmitir potência às rodas de trás. A energia é fornecida por uma bateria com 80 kWh de capacidade bruta (74 kWh úteis), composta por 10 módulos que, no conjunto, pesam 518 kg e reúnem um total de 188 células prismáticas, de produção chinesa. A autonomia anunciada, que inicialmente apontava para os 440 km no ciclo de homologação europeu WLTP (dados fornecidos pela própria BMW), foi agora revista para cima, com a marca a avançar um alcance máximo de 460 km com uma carga completa. O número ainda é provisório, mas não deixa de causar alguma estranheza por parecer optimista face aos 520 km de autonomia que o iX3 homologaria no desactualizado método NEDC. Basta lembrar que nessa mesma “transição” de NEDC para WLTP, o Renault Zoe com 400 km baixou para os 300 km e o Nissan Leaf passou de 370 km para 270 km. Ainda assim, a autonomia estimada pela BMW só coloca o iX3 em vantagem face ao Mercedes EQC (416 km), relativamente próximo do Jaguar I-Pace (470 km), mas longe dos 505 km homologados pelo Tesla Model Y Long Range.

7 fotos

Quanto a prestações, o SUV eléctrico da BMW reclama uma capacidade de aceleração de 0 a 100 km/h em 6,8 segundos, valor que o coloca abaixo dos seus rivais directos, pois o Jaguar I-Pace cumpre a prova em 4,8 segundos, enquanto o Tesla Model Y Long Range e o Mercedes EQC anunciam ambos 5,1 segundos. O resultado não surpreende, na medida em que o BMW é o menos potente do lote, tendo de enfrentar com os seus 286 cv os 351 cv do Model Y, os 400 cv do I-Pace e os 408 cv do EQC. Daí que, também no domínio da velocidade máxima, o BMW perca pontos para todos, excepto para o Mercedes com quem faz jogo igual (180 km/h), enquanto o Jaguar chega os 200 km/h e o Tesla atinge 217 km/h.

No que respeita ao carregamento, segundo a marca, o SUV bávaro consegue em apenas 10 minutos acumular energia para percorrer mais 100 km, se a carregar a corrente contínua (DC) a uma potência máxima de 150 kW. Em 34 minutos, nestas condições, alcança 80% da carga total. Já se a operação se processar em corrente alterna (11 kW), uma carga completa demora sete horas e meia.