Resultados da primeira fase do estudo que a empresa de biotecnologia Moderna e o National Institutes of Health estão a fazer mostram que todos os voluntários para testar a sua vacina contra a Covid-19 apresentaram respostas imunes . A CNN relata que o resultado preliminar encorajador surge publicado esta terça-feira no New England Journal of Medicine e dá conta que a vacina aparenta desencadear uma resposta imunológica com efeitos secundários leves — apenas fadiga, calafrios, dor de cabeça, dor muscular, dor no local da injeção.

Estes dados surgem da análise feita a 45 adultos saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos, que receberam duas vacinações do candidato à vacina mRNA-1237 com 28 dias de intervalo. Os voluntários foram separados em grupos e receberam a vacina na dose de 25, 100 ou 250 microgramas. A fase final de testes deverá começar já no próximo dia 27 e contará com 30 mil participantes adultos, incluindo pessoas cujas suas características pessoais as colocam em alto risco de infeção. Um grupo será injetado com 100 microgramas da vacina e um segundo grupo com duas doses de placebo para comparação. O estudo será realizado em 87 locais nos Estados Unidos.

A Moderna anunciou num comunicado de imprensa que, se tudo correr bem nos próximos passos do estudo, a empresa vai conseguir “fornecer aproximadamente 500 milhões de doses por ano e possivelmente até mil milhões de doses por ano, a partir de 2021”.

Lisa Jackson, investigadora sénior do Kaiser Permanente Washington Health Research Institute, em Seattle, que faz parte deste estudo, afirma que apesar das “respostas imunes promissoras”, ainda não sabem se o nível de resposta imunológica que estão a ter será eficiente para “proteger contra a infeção”. Só a continuação da pesquisa conseguirá dar mais informações.

A vacina da Moderna é uma das 23 em ensaios clínicos em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. No geral, os dados de segurança deste relatório preliminar são promissores e dão alento à investigação. Contudo, especialistas alertam que é preciso ter em consideração a complexidade da aplicação da vacina a um grupo maior de pessoas.