Amber Heard diz que está a “colocar a sua fé na justiça britânica” depois do advogado de Johnny Depp a ter acusado de ser uma “mentirosa compulsiva” e uma “abusadora”, ao referir-se ao relacionamento que casal manteve, mas que nos últimos tempos tem estado na origem de graves acusações de abuso e violência doméstica. A atriz tem estado envolvida num processo em que Depp acusa o jornal Sun de difamação por dar voz a queixas de Heard.

O The Guardian conta que o processo de difamação contra os editores do tablóide britânico, movido pelo ator que vestiu a pele de Capitão Jack Sparrow nos filmes Piratas das Caraíbas, terminou a fase de alegações finais na passada terça-feira. Heard foi vaiada e criticado por fãs de Depp à saída do tribunal depois da leitura dos tais argumentos — onde foi tida como alvo a abater. De tal forma que lançou um comunicado curto onde se lê: “Foi incrivelmente doloroso reviver a rutura do meu relacionamento, questionarem os meus motivos, a minha verdade e os detalhes mais traumáticos e íntimos da minha vida com Johnny. Tudo isso partilhado no tribunal e transmitido por todo o mundo.” Amber Heard ainda agradeceu, também, o apoio que vai recebendo por parte dos seus fãs.

O que aconteceu, então? O advogado de Depp, David Sherborne, disse ao tribunal na sua argumentação final qualquer coisa como: “A senhora Heard provou ser uma testemunha totalmente não confiável e, francamente, uma mentirosa compulsiva. E eu não digo isso com leviandade.” Resumindo todo o caso em questão, o mesmo Sherborne disse ainda: “O que é importante para o Sr. Depp é limpar seu nome dessas alegações terríveis que foram propagadas ao longo dos últimos quatro anos e que, como resultado, fizeram-no perder quase tudo o que tinha. Não se trata de dinheiro, mas de reputação”.

Sherborne não poupou nas palavras e virou o assunto ao contrário alegando que Depp é que era vítima de agressões à conta de uma gravação feita entre o ator e Heard, na qual ela fala em bater no marido. Acusou a atriz de manipular a verdade, forçar outras pessoas a mentir por si e que até alimentou o boato de que Depp tinha, em tempos, atirado Kate Moss de umas escadas.

O advogado questionou os hematomas que a atriz alegava ter, dizendo que eram “hematomas mágicos que só aparecem quando está sozinha ou com amigos”.

Johnny Depp, de 57 anos, está a processar os editores do Sun, a News Group Newspapers (sua proprietária) e o editor executivo Dan Wootton, por causa de um artigo em que o tratavam como “espancador de mulheres” e acusavam-no de atacar Heard.