Onze migrantes marroquinos foram detidos, na quinta-feira, depois de agredirem outro migrante e destruírem cadeiras, mesas e paredes no Centro de Instalação Temporária (CIT) do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, noticiou o Jornal de Notícias. Os detidos serão presentes em tribunal esta sexta-feira para conhecerem as medidas de coação.

A reação violenta teve início depois de serem notificados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) da decisão do Tribunal de Loulé. Teriam de ficar no CIT por mais 30 dias, “enquanto se aguarda autorização das autoridades marroquinas para execução do seu afastamento, atentos os constrangimentos vigentes face ao contexto de combate à pandemia COVID 19”, explicou o SEF.

O SEF confirmou à rádio Observador a detenção dos migrantes, mas não confirmou que tenham havido estragos avultados no CIT do aeroporto como avançou o Jornal de Notícias.

Migrantes intercetados no Algarve vão ser esta terça-feira presentes a tribunal de Loulé

Os migrantes estão há quase dois meses no aeroporto do Porto à espera da decisão sobre o pedido de asilo humanitário. Mas o SEF acrescentou que “três cidadãos deste grupo já se haviam evadido daquele espaço no passado dia 3 de julho, tendo sido localizados no próprio dia e ali reinstalados”.

O 11 migrantes fazem parte de um grupo de 22 que no dia 15 de junho foi intercetado pela Polícia Marítima perto de Loulé.