Em 2018, David Luiz e Willian eram colegas de equipa. Ambos no Chelsea há vários anos, companheiros também na seleção brasileira, decidiram aliar o trabalho dentro dos relvados a um negócio fora deles. Em Mayfair, uma zona popular da cidade de Londres, abriram o Babbo, um restaurante italiano que é uma das atrações gastronómicas da região. Passaram dois anos, o central trocou o Chelsea pelo Arsenal mas o Babbo manteve-se. Esta sexta-feira, os dois jogadores e o restaurante voltaram a estar alinhados — Willian, depois de sete anos em Stamford Bridge, mudou-se para o Emirates.

O médio brasileiro já tinha anunciado que ia deixar o Chelsea no início do mês, depois de o final do contrato o ter tornado um jogador livre no final de junho. Willian esteve sempre com a equipa na reta final da época e até na final da Taça de Inglaterra — onde, ironicamente, os blues perderam o troféu para o Arsenal — mas sempre do lado de fora do relvado e excluído das convocatórias, assistindo aos jogos a partir da bancada. Os rumores de que ia trocar de clube sem trocar de cidade começaram a circular ainda durante a retoma da Premier League e intensificaram-se com o fim da época. Esta quinta-feira, o Arsenal anunciou oficialmente a contratação do médio brasileiro, que aos 32 anos e depois de sete temporadas vestido de azul decidiu aceitar um novo desafio.

“Tem muitas qualidades. Uma delas é a capacidade de jogar em espaços reduzidos, a capacidade de descobrir soluções, de desbloquear, de conduzir com bola e criar superioridade. É uma ameaça tanto em jogo corrido como em lances de bola parada”, disse Mikel Arteta, treinador dos gunners, em reação ao reforço. Já Willian, no Twitter, publicou um vídeo com alguns dos melhores momentos que passou no Chelsea e agradeceu ao clube e aos adeptos. Em Stamford Bridge, o brasileiro conquistou duas vezes a Premier League e ainda ganhou uma Taça de Inglaterra, uma Taça da Liga e uma Liga Europa. Antes, em seis anos de Shakhtar Donetsk, o jogador formado no Corinthians foi campeão ucraniano em quatro ocasiões e ainda conquistou a Taça UEFA de 2009, para depois passar dois anos nos russos do Anzhi antes de reforçar o Chelsea de José Mourinho em 2013.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Willian, que assinou por três temporadas, é um dos nomes vitais para a reformulação que Arteta está a tentar empreender no Emirates. A contratação do brasileiro, aliada à pretendida permanência de Lacazette e Aubameyang e à ainda possível chegada de Philippe Coutinho, é um dos pontos de partida para um novo capítulo que o Arsenal acredita que começou em Wembley, com a vitória na final da Taça de Inglaterra. O troféu foi o primeiro dos gunners em três anos e Arteta, que chegou a meio da temporada para substituir Unai Emery, tem o voto de confiança da cúpula do clube para continuar a partir pedra para construir uma nova etapa. Willian, para já, é o primeiro tijolo.