Dark Mode 137kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Ataques em Moçambique. Papa Francisco manifesta "muita preocupação" com violência armada em Cabo Delgado

O Papa Francisco manifestou-se preocupado com a violência armada em Cabo Delgado, considerando que está a acompanhar a situação das populações afetadas pela violência de grupos terroristas.

i

O Papa Francisco foi informado sobre a situação de Mocímboa da Praia, onde os grupos armados protagonizaram vários ataques na última semana e tomaram o porto local

VATICAN MEDIA HANDOUT/EPA

O Papa Francisco foi informado sobre a situação de Mocímboa da Praia, onde os grupos armados protagonizaram vários ataques na última semana e tomaram o porto local

VATICAN MEDIA HANDOUT/EPA

O Papa Francisco manifestou-se esta quarta-feira preocupado com a violência armada em Cabo Delgado, acrescentando que está a acompanhar a situação das populações afetadas pelas incursões armadas de grupos classificados como terroristas naquela região.

O chefe da Igreja Católica manifestou a sua preocupação durante uma conversa telefónica com o bispo de Pemba, Luiz Fernando Lisboa, segundo informação avançada pela diocese da capital provincial de Cabo Delgado em conferência de imprensa.

“Ele disse que está bem próximo do bispo de Pemba e de todo povo de Cabo Delgado. E que acompanha a situação vivida na nossa província com muita preocupação e que tem rezado por nós”, disse Luiz Fernando Lisboa, acrescentando que o Papa manifestou-se aberto a apoiar a província no que for necessário.

Segundo Luiz Fernando Lisboa, Francisco foi informado sobre a situação de Mocímboa da Praia, onde os grupos armados protagonizaram vários ataques na última semana e tomaram o porto local.

Falei para o Santo Padre sobre a difícil situação de Mocímboa da Praia, que neste momento está tomada pelos insurgentes e que duas religiosas da congregação que lá trabalham estão sem contacto com a diocese há uma semana. Elas estão com muitas pessoas nas suas casas, idosas, doentes e mães”, declarou Luiz Fernando Lisboa.

Na última semana, os insurgentes realizaram ataques sequenciados às aldeias de Anga, Buji, Ausse e à vila sede de Mocímboa da Praia (norte de Moçambique), e, segundo dados do Ministério da Defesa, pelo menos 59 “terroristas” morreram em operações de resposta das forças governamentais.

Na quarta-feira, os grupos armados invadiram o porto de Mocímboa da Praia e os confrontos deixaram um número desconhecido de mortos, incluindo elementos das forças governamentais, segundo informações avançadas à Lusa por uma fonte do Exército. Várias infraestruturas foram vandalizadas e, neste momento, as linhas de comunicação também estão interrompidas em Mocímboa da Praia.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.