O Governo ucraniano decidiu esta quarta-feira voltar a encerrar as fronteiras aos cidadãos estrangeiros por um período de 30 dias, devido ao aumento de novos casos da Covid-19 em vários países do mundo.

No final de uma reunião do Conselho de Ministros, em Kiev, o ministro do Interior, Arsen Avakov, adiantou que a medida entrará em vigor às 00h de quinta-feira.

A interdição não afetará, porém, certas categorias de viajantes, entre eles pessoas com autorização de residência na Ucrânia ou em trânsito, membros de missões internacionais e humanitárias e camionistas.

A Ucrânia já tinha encerrado o acesso ao país para a maior parte dos estrangeiros entre meados de março e fins de junho, antes de abandonar a medida, passando os viajantes a serem obrigados, à chegada de países com uma forte propagação do vírus, a permanecer em confinamento durante 14 dias ou a fazer um teste de despistagem.

A progressão da epidemia do novo coronavírus tem acelerado consideravelmente nas últimas semanas na antiga república soviética, situada às portas da União Europeia (UE), tendo, até esta quarta-feira sido diagnosticados mais de 110.000 casos do novo coronavírus, 2.354 eles mortais, num país com cerca de 40 milhões de habitantes.

Por outro lado, o governo de Kiev prolongou, também esta quarta-feira, até ao final de outubro as restrições destinadas a combater e a atrasar a propagação da pandemia. Após um confinamento apertado declarado em março, a Ucrânia começou a diminuir as restrições gradualmente em maio, para poder relançar a economia do país.

Nas últimas semanas, as medidas de prevenção, como o uso de máscara e o distanciamento social, têm sido largamente negligenciadas no país.