Rui Rio não poupa nas palavras para censurar a forma como a Direção-Geral da Saúde (DGS) está a gerir o dossiê da Festa do Avante.

Começando por classificar na rede social Twitter de “ridículo e inaceitável!” a notícia de que a autoridade de saúde se recusava a revelar o conteúdo do documento que enviou este domingo para o Partido Comunista Português (PCP), o líder do PSD apelida a DGS de “insensata” e de estar “pura e simplesmente a gozar com todos nós.” ao insistir que quem tem de divulgar as suas apreciações são as entidades destinatárias das mesmas — e não o próprio organismo liderado por Graça Fonseca.

“Em democracia, pior era impossível. Impõe-se, agora, que o Governo, que tutela este serviço, faça a divulgação do documento para todos percebermos o que é que a DGS está a querer esconder”, escreveu Rio na sua conta no Twitter.

DGS recusa divulgar parecer sobre o Avante, mas diz que análise é “mais complexa” do que noutros eventos

Não é a primeira vez que a Rui Rio explora politicamente o caso da Festa do Avante. Recentemente, criticou diretamente o PCP por insistir na organização do certame que deve iniciar-se a 4 de setembro. Fê-lo a 23 de agosto e a 13 de agosto.