Rui Rio não resistiu à provocação e, esta terça-feira, comparou auditorias às sondagens. “Auditorias são um bocado como as sondagens e valem o que valem”, disse o líder do PSD, reconhecendo que seria um comentário “polémico”. À margem de uma visita ao hospital de São João, no Porto, Rio recordou que foram feitas “auditorias à banca durante anos” e, ainda assim, o país assistiu à “banca toda falida apesar de tantas auditorias e acompanhamentos dessas empresas”.

Auditoria revela perdas de 4.042 milhões de euros no Novo Banco e Governo envia relatório para PGR

Rio afirmou ainda que “o Novo Banco está doente e os contribuintes também ficam” e disse ainda “suspeitar” que o Estado e os contribuintes têm pago uma fatura “que vai muito para lá do que seria justo” devido à venda do Novo Banco.

O “fundamental”, segundo Rio, é perceber se, a partir do momento em que o Novo Banco foi vendido à Lone Star — em 2017 — o dinheiro que os contribuintes já pagaram para o Novo Banco “está correto”. O líder do PSD defendeu que possa “haver uma investigação a sério do Ministério Público para aferir em que condições é que essas perdas aconteceram”, frisando que atualmente o caso do Banco Espírito Santo se encontra “pago e entregue à justiça”.