O Governo português transmitiu à Comissão Europeia a sua disponibilidade para participar no esforço europeu de solidariedade para o acolhimento de pessoas que se encontravam no campo de refugiados de Moria, anunicou esta sexta-feira o Ministério da Administração Interna em comunicado.

“Esse esforço traduzir-se-á na aplicação, em articulação com as autoridades gregas, de dois instrumentos já existentes. Trata-se do Acordo Bilateral entre os dois países para recolocação de pessoas refugiadas e requerentes de asilo e da manifestação portuguesa de disponibilidade para acolher um total de 500 menores não acompanhados“, lê-se.

Milhares de refugiados do campo grego de Moria expostos ao mau tempo após incêndio

No âmbito deste acordo assinado entre Portugal e a Grécia, irá proceder-se à agilização da já prevista transferência das primeiras 100 pessoas. O acordo prevê o acolhimento de até 1000 pessoas que se encontram em campos de refugiados na Grécia.

Quanto aos menores não acompanhados, ainda em setembro está prevista a chegada de mais 28 pessoas, provenientes de campos de refugiados da Grécia. O primeiro grupo de 25 menores, de um total de 500 que Portugal se mostrou disponível para receber, chegou ao nosso país no passado dia 7 de julho. 

Tanto no âmbito do Acordo Bilateral, como na transferência de menores, as autoridades gregas determinam os perfis das pessoas priorizando as que se encontram em situação de maior vulnerabilidade.

Dez países da UE recebem 400 crianças de Moria