As vendas da Porsche, no mês de Agosto, acabaram por materializar uma realidade que alguns já tinham antecipado. Apesar de possuir uma gama com sete modelos, não contando com as versões descapotáveis dos coupés 911 e 718, o que elevaria este valor para nove, o construtor germânico do Grupo Volkswagen viu ser o Taycan, o único eléctrico que actualmente propõe aos seus clientes, a liderar a tabela das vendas da marca, de acordo com a Jato.

Ao fechar o mês com 1183 unidades transaccionadas, o Taycan foi o modelo que mais novos clientes conquistou, ultrapassando as 1097 unidades de 911, os 771 Cayenne, os 646 Macan, os 554 Cayenne Coupé, os 517 Porsche 718 e os 278 Panamera.

Em primeiro lugar, salta à vista a desvantagem do Panamera face ao Taycan, sendo que ambos se assumem como berlinas de quatro portas e de vocação mais familiar, com a versão eléctrica a vender quase quatro vezes mais do que a sua congénere a gasolina.

Apesar de ser uma berlina a liderar o ranking interno de vendas, tipo de veículo que, no conjunto, atingiu 1461 unidades, a Porsche continua a ser um fabricante que maioritariamente vende SUV, uma vez que entre Macan, Cayenne e Cayenne Coupé transaccionou 1971 veículos deste tipo, à frente dos coupés desportivos que, entre o 911 e o 718, se ficaram pelas 1614 unidades.