O novo Volvo XC40 Recharge, de que já aqui lhe falámos em detalhe, começou a ser produzido na fábrica belga de Ghent, tendo a Volvo anunciado que o seu primeiro modelo 100% eléctrico começará a chegar aos clientes europeus ainda este mês. Contudo, os portugueses vão ter que esperar um pouco mais pois, de acordo com o que o Observador apurou junto da Volvo Cars Portugal, o arranque das entregas da versão eléctrica do XC40 não acontecerá este ano, estando previsto que tal aconteça a partir do próximo mês de Janeiro.

Primeiro eléctrico da Volvo promete. Conheça os trunfos

“A procura deste novo modelo tem sido muito elevada, estando mesmo já vendida toda a produção calendarizada até final do ano”, refere a Volvo em nota de imprensa, realçando (sem nunca avançar quaisquer números) que “o objectivo de vendas até final do ano foi amplamente superado”.

No entanto, como o início do fabrico do XC40 Recharge foi antecedido de um período em que se procurou “optimizar os processos de produção e assegurar os níveis de qualidade associados a cada automóvel que sai da linha de montagem”, deduzimos que o volume será relevante. Até porque o XC40, em si, é um dos best-sellers da Volvo e a sua declinação a bateria é das mais interessantes no segmento dos crossovers compactos eléctricos.

7 fotos

O Recharge P8 anuncia 408 cv de potência e tracção às quatro rodas motrizes (um motor de 150 kW por eixo), com uma autonomia acima de 400 km no protocolo europeu de medição de consumos e de emissões WLTP. As baterias, protegidas por uma safety cage de alumínio, são fornecidas pela LG Chem e pela CATL, tendo 78 kWh de capacidade bruta (75 kWh utilizáveis). Como estão preparadas para lidar com até 150 kW de potência em DC, podem ser recarregadas de 0 a 80% da sua capacidade em 40 minutos, num posto de carga rápida.

Outro dos argumentos a favor do SUV sueco reside na sua capacidade de rebocar até 1500 kg, ainda que isso inevitavelmente se venha a repercutir no alcance entre recargas (dado não fornecido). Sobre o tejadilho, a carga máxima está fixada nos 75 kg, enquanto a frunk (mala da frente) acomoda 31 litros e o porta-bagagens traseiro anuncia 413 litros de capacidade, pelo que espaço de armazenamento não falta.

A segurança, área onde a Volvo se procura impor como referência, está ao nível do XC40 convencional, assegura o fabricante, lembrando que a ausência de motor obrigou a redesenhar e a reforçar toda a estrutura frontal. Outra das novidades encontra-se no sistema de infoentretenimento com suporte Android, o que oferece ao condutor a possibilidade de tirar partido do Google Maps, Google Assistant e PlayStore, sendo as actualizações efectuadas over-the-air.