A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, considerou esta quarta-feira, em Lisboa, ser necessário voltar a colocar a agricultura na agenda política e pública, atividade que defendeu ser moderna e essencial.

“Precisamos de voltar a colocar na agenda política e pública a agricultura, que não é uma atividade obsoleta e antiquada, mas moderna, tecnológica e essencial para garantir a nossa subsistência”, afirmou Maria do Céu Antunes, que falava no almoço-debate do Internacional Club Of Portugal, subordinado ao tema “Alimentação e Saúde, a outra face da Agricultura”.

Para a líder do Ministério da Agricultura é assim necessário iniciar uma sensibilização nas escolas e nas universidades e melhorar as escolas profissionais rurais, uma vez que “a agricultura, não é de todo, a área profissional dos nossos jovens e isso faz-se comunicando”.

A governante avançou também que quer “encontrar uma forma” para que exista um programa na televisão que revele uma dimensão da agricultura “mais moderna e preparada”.

Questionada sobre a falta de mão de obra jovem e nos territórios do interior, a ministra assumiu que existe um “enorme problema demográfico”, mas garantiu que o executivo está a trabalhar para colmatar essa questão.

Temos, neste momento, aberto um aviso para financiarmos explorações de jovens agricultores que escolham o país para investir, dando uma mais valia a quem escolha territórios de baixa densidade. Não resolve o problema de falta de mão de obra, mas é um fator de incentivo”, concluiu.